Edições anteriores

  • Dossiê Alfabetização e Letramento: Questões Múltiplas e Contemporâneas
    v. 18 n. 33 (2024)

    Vivemos um tempo marcado por diálogos e desafios profundos no campo da alfabetização. A fala proferida pela professora Maria Rosário Longo Mortatti, durante o seminário, “Alfabetização e letramento em debate” ainda ressoa pelos espaços da Educação “[...] da disputa em torno de certas tematizações, normatizações e concretizações relacionadas com o ensino da leitura e escrita e consideradas novas e melhores, em relação ao que, em cada momento, era considerado antigo e tradicional nesse ensino” (Mortatti, 2006, p. 4).  Assim, seguimos buscando explicações que nos ajudem a entender e, quiçá, minimizar o problema. Com o intuito de contribuir com as discussões no campo da alfabetização e do letramento no Brasil, o Dossiê Alfabetização e Letramento: questões múltiplas e contemporâneas reúne um conjunto de textos que demonstram uma diversidade de perspectivas teóricas, focos e problemáticas em torno do campo. São pesquisas, predominantemente, qualitativas, tanto bibliográficas quanto oriundas de entrevistas e observações participantes.

  • Dossiê Alfabetização e Letramento
    v. 17 n. 32 (2023)

    A temática alfabetização por si só é diversa, complexa e, não raras vezes, polêmica. Em 2019, com a implementação da Política Nacional de Alfabetização, defendendo exclusivamente a ciência cognitiva da leitura e a neurociência, causou uma reação por parte de pesquisadores do campo, pois mostrou-se um desrespeito em relação ao que vem sendo estudado há mais de 40 anos no Brasil. Desse modo, observou-se um movimento de repúdio por parte de pesquisadores, associações e comunidades científicas no que se refere a essa política e postura de retrocesso no campo. Assim, propõe-se com o Dossiê Alfabetização e Letramento contribuir com, o fortalecimento da discussão e reflexão, por meio da publicação de artigos resultantes de pesquisas científicas ou bibliográficas, entrevistas e resumos de livros pertinentes à área.  

  • Pensamento Crítico na Educação: Relevância, Contribuições e Desafios
    v. 17 n. Especial (2023)

    O Dossiê Pensamento Crítico na Educação: Relevância, Contribuições e Desafios é uma ação da Rede Brasileira de Pensamento Crítico na Educação em Ciências (ReBraPEC). Movimento resultante de um coletivo de pesquisadores e pesquisadoras oriundos de nove Instituições de Ensino Superior brasileiras (UEM, UFFS, UFGD, UEL, UFN, UNIFEI,UFS, UNISUL, UCS, IFFar) e que, na presente proposta,  reuniu artigos que versam sobre investigações no campo do Pensamento Crítico em interface com diferentes objetos e contextos, nos âmbitos regionais, estaduais, nacionais e/ou mundiais, por meio de distintas teorizações, desenvolvidas ao longo dos últimos anos.

  • v. 15 n. 27 (2021)

    O dossiê Escrita e Leitura no contexto escolar: diálogos múltiplos apresenta artigos de pesquisadores portugueses e brasileiros sobre espaços, projetos e propostas pedagógicas que objetivam um encontro profícuo das crianças e dos jovens com a leitura e a escrita naquele contexto. Nesse sentido, para além de reflexões e abordagens teóricas, os artigos selecionados resultam de estudos e pesquisas desenvolvidas no âmbito acadêmico, mas que lançam luz sobre os atos de ler e escrever na escola, incluindo ainda discussões sobre a educação literária e análises de documentos oficiais, do Brasil e de Portugal, sobretudo no que se refere a diretrizes e orientações para a formação de leitores literários ou, ainda, sobre a importância do ensino e da aprendizagem da oralidade. Sendo assim, são estudos que se propõem a ver a escola com uma visão mais humanizadora e humanizada, vislumbrando uma educação que seja capaz de formar crianças e jovens que atuem como protagonistas na sociedade, com possiblidades reais de serem ouvidos, lidos e compreendidos.

  • v. 14 n. 26 (2020)

    O presente Dossiê, Pensamento crítico na Educação: Estado de Arte e desafios, congrega artigos de pesquisadores e investigadores que, ao longo dos últimos anos, se dedicam às pesquisas no campo do Pensamento Crítico (PC) em interface com diversos campos do saber e contextos, nomeadamente regionais, nacionais e/ou mundiais. As principais tradições que têm impulsionado esta investigação estão presentes, como a filosófica, a psicológica e a educacional, por meio de distintas teorizações, visando potencializar o seu desenvolvimento na globalidade das pessoas, a sua relevância e a visibilidade desta área do conhecimento.
  • v. 14 n. 25 (2020)

    O presente Dossiê, Estatuto científico da Educação Física: olhares distintos e perspectivas possíveis para o campo escolar, é uma tentativa de contribuir para o debate sobre a Educação Física (EF) no âmbito escolar. Partimos do pressuposto de que, desde o final do século passado, vivemos um movimento cabal para a EF escolar no Brasil.

  • v. 13 n. 24 (2019)

    O Dossiê “A educação e cuidado de bebês e crianças bem pequenas na creche: Diálogos entre Brasil e Itália”, que ora partilhamos com os leitores da revista Poiésis foi tecido numa rica parceria entre muitos interlocutores, que têm realizado estudos e pesquisas, no Brasil e na Itália, no campo da educação infantil.  A trajetória da educação infantil no Brasil e na Itália tem histórias e vicissitudes próprias e nesse sentido não há intenção de comparar práticas educativas dos diferentes contextos nacionais. Desse modo, nos interessa partilhar as escolhas, ênfases e experiências que pesquisadores e professores de ambos os países têm feito no sentido de melhor contribuir para o enriquecimento das discussões relativas a educação e cuidado de crianças com até 3 anos de idade em contextos educativos.
  • v. 13 n. 23 (2019)

    O Dossiê em questão abre espaço para trabalhos inéditos decorrentes de pesquisas teóricas e/ou empíricas concluídas, nacionais e internacionais, que retratem processos de ambientalização evidenciados em diferentes espaços educacionais, seus avanços, desafios, inovações, concepções epistemológicas que perpassam as discussões e reflexões acerca do tema e/ou outras abordagens diretamente relacionadas à temática. As contribuições do tema para a Educação transitam em diferentes frentes, dentre elas, destacam-se, além do contexto formativo, a inserção da questão da sustentabilidade socioambiental e da EA.

  • v. 12 n. 22 (2018)

    O Dossiê “Feminismos, gênero e sexualidade na Educação” se apresenta em um final de ano sombrio para as classes trabalhadoras brasileiras, e, particularmente às questões que envolvem gênero e educação, com o conservadorismo que se apresentou durante as eleições de 2018 e seguem em seu desenrolar de aprofundamento de perda de direitos fundamentais, como a educação pública e a liberdade de expressão de professoras/es e perseguição ao que setores reacionários designaram, equivocadamente, como “ideologia de gênero”.

    Reafirmamos nesse número nossa resistência. Seguiremos falando de feminismos. Seguiremos falando de gênero. Seguiremos falando de sexualidade. E, mais do que tudo, seguiremos falando dentro do campo do marxismo que, a nosso ver, é o que tornará esse mundo habitável contra a barbárie capitalista.

  • nº Esp. Dossiê: Literatura e infâncias
    v. 12 (2018)

    O Dossiê Literatura e infâncias é resultado de uma reunião farta de saberes realizada no contexto do III Seminário Internacional de Literatura Infantil e Juvenil e Práticas de Mediação Literária (III SELIPRAM), ocorrido nos dias 12 e 13 de julho de 2018, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, em Braga, Portugal. O evento foi uma realização do Literalise - Grupo de pesquisa sobre literatura infantil e juvenil e práticas de mediação literária (CED/UFSC) e do Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC/UMINHO), com proposta a provocar espaços de reflexão às linguagens literárias para infância e juvenil contemporânea, que circulam no mercado editorial brasileiro, português e demais países, e as práticas de mediação da leitura literária com crianças e jovens. Suas duas primeiras edições ocorreram na Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil, nos anos de 2014 e 2016. No ano de 2018, o evento ganhou fôlego, ao realizar a sua terceira edição na Universidade do Minho, internacionalizando-se a partir do espaço geográfico de atuação.Com o objetivo geral de congregar pesquisadores brasileiros, portugueses e de demais países em pesquisas sobre literatura infantil e juvenil, em particular aqueles cujas investigações relacionam-se à produção literária para crianças e jovens, às práticas educativas construídas em diálogo com essa produção em práticas de mediação da leitura literária, o evento constituiu-se.
  • v. 12 n. 21 (2018)

    No último biênio de 2016/2017, um grupo de pesquisadores da área da Educação Infantil de diferentes universidades do Brasil e também de outros países, em particular da Universidade de Évora, Portugal, reuniu-se para pensar um projeto de pesquisa interdisciplinar e inovador, voltado ao tema formação dos profissionais de Educação Infantil que resultasse em indicadores de qualidade para a formação de professores desta etapa Educação Básica. As relações e diálogos intensificaram-se com a I Jornada Internacional sobre a formação de professores/as de Educação Infantil e III Encontro da Rede de Educação Infantil da UFAL: diálogo entre teorias e práticas, que aconteceu em maio de 2017 na Universidade Federal de Alagoas. O evento teve como principal objetivo pensar a formação deste profissional da Educação Infantil, chamando para o diálogo os diversos atores implicados com esta temática: docentes e discentes, universidades e redes de Educação Infantil, pesquisadores nacionais e internacionais. A partir da proficuidade das discussões e reflexões que ocorreram durante o evento, surgiu a ideia da proposta de Dossiê, com o desejo de continuidade e fortalecimento de relações e diálogos.

  • v. 11 n. 20 (2017)

    A Alfabetização é pensada, neste Dossiê, como radicada no tempo histórico (dimensões práticas, cognitivas, políticas, sociais e culturais), submetida a uma crítica radical, de modo a compreender seu papel histórico, a função que exerce e deve criticamente exercer, no que consiste à emancipação do homem. A alfabetização é um CONHECIMENTO que se constituiu e se constitui como Objeto central nos processos sociais, políticos e culturais na práxis formativa dos sujeitos, como um dos instrumentos de emancipação humana. 

    Assim, os onze artigos que compõem o presente Dossiê evidenciam um conjunto de temas relacionados ao processo de ensino e aprendizagem da leitura e da escrita ou, como hoje a denominamos – alfabetização - evidenciando embates e enfrentamentos, tanto no âmbito das políticas como dos métodos propostos para a alfabetização das crianças e de adultos que não tiveram acesso à escola ou nela não obtiveram êxito. Assim, contribuindo na continuidade do debate/embate na luta por acesso e apropriação desse patrimônio cultural por toda a população. 

  • v. 11 n. 19 (2017)

    Organizar uma publicação que (re)trate as políticas educacionais após vinte anos de promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB No 9394/1996), obrigatoriamente, remete a retomar a metáfora da maldição de Sísifo, criada por Fúlvia Rosemberg (2003), quando da discussão sobre as políticas de Educação Infantil e das suas quedas facilitadas pelos organismos internacionais. Nada mais oportuno e atual para o momento social e político brasileiro do que relacionar este mito grego às condições sob as quais estão colocadas as políticas educacionais, desde a Educação Infantil à Pós-Graduação.
  • nº Esp. - A Educação Profissional Técnica de Nível Médio na modalidade EaD: Realizações e Perspectivas da Rede e-Tec Brasil
    v. 10 (2016)

    Os responsáveis pela organização do Dossiê, Profª Drª Araci Hack Catapan (UFSC) e Profº Drº Clóvis Nicanor Kassick (UNISUL), reuniram artigos de autoria de pesquisadores nacionais, oriundos de diferentes universidades sobre a Educação Profissional Técnica de Nível Médio na modalidade EaD.

    Este dossiê, pelos artigos aqui publicados, evidencia parte do intenso trabalho de pesquisa desenvolvido, em nível nacional, sobre a Educação Profissional Técnica de Nível Médio na modalidade EaD, apresentando algumas de suas realizações e perspectivas em relatos de experiências realizadas e ou em realização.


  • Políticas para o Ensino Médio/Secundário: experiência de Argentina, Brasil e Espanha
    v. 10 n. 17 (2016)

    O presente Dossiê apresenta uma série de trabalhos em que os autores dedicam-se a elucidar políticas e aspectos relativos ao Ensino Médio/secundário em três países: Argentina, Brasil e Espanha. Os textos partem de diferentes perspectivas de análise e pressupostos teórico-metodológicos, e possuem como fonte de dados legislação, documentos oficiais, pesquisas empíricas realizadas em centros escolares e outros locais, e experiências sindicais militantes.

    O confronto dessas perspectivas presentes no Dossiê visa a revelar e problematizar os principais desafios do Ensino Médio/secundário na atualidade, sobretudo no setor público, tais como o financiamento, a cobertura, o currículo, a qualidade do ensino, a gestão, a avaliação, o trabalho docente, a reorganização dos sistemas e dos centros escolares, a privatização e a organização sindical docente, entre outros, expressos nos textos.

     

     

  • Políticas de Educação Superior: para onde caminha a universidade?
    v. 9 n. 16 (2015)

    DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v9e162015  

    A publicação desse dossiê vem ocupar um espaço de valorização do debate e da produção científica sobre o tema Educação Superior, apresentando contribuições para a compreensão da concepção de educação superior sustentada no fazer acadêmico e na pesquisa. Buscamos, desse modo, com o intuito de expressar no conjunto de artigos no âmbito de diferentes concepções teóricas, o pensamento crítico, oferecer para leitura um elenco de artigos elaborados por colegas pesquisadores e pesquisadoras, alunos e alunas da Pós-Graduação Stricto Sensu, que, a partir do cotidiano de suas pesquisas, nos brindaram com seus escritos. Esse número da Revista Poíésis foi, também, inspirado na na pesquisa sobre educação superior da RedeIberoamericana de Investigação em Políticas Educativas (União Européia) realizada entre 2010 e 1013 e da qual participaram as autoras desse dossiê.

  • Educação e infância: diálogos disciplinares
    v. 9 n. 15 (2015)

    A proposição deste Dossiê pretendeu privilegiar, a partir de resultados de pesquisas, contribuições disciplinares (Sociologia, Psicologia, Educação, Antropologia, Geografia e História, Filosofia, Mídia e Comunicação, Arte, Saúde, etc.) para a ação pedagógica em espaços coletivos de educação da pequena infância. Neste sentido, reúne pesquisadores que vêm colaborar para o aprofundamento dos estudos sobre a educação da Infância e proporcionar, ao leitor, uma percepção diversificada das diferentes áreas que estão presentes, discutindo a educação da infância na escola e na Educação Infantil. 

  • Educação do corpo
    v. 8 n. 14 (2014)

    Este dossiê pode ser dividido em três blocos. O primeiro deles, mais extenso, é composto por reflexões teóricas sobre a educação do corpo, conjunto que se completa por uma entrevista e uma resenha, mas que finalizam o conjunto. No miolo, são problematizadas metodologias e práticas.

  • Relações Étnico-raciais, Gênero e Educação
    v. 8 n. 13 (2014)

    É com grande satisfação que a equipe da Revista POIÉSIS-RPPGE apresenta o V.8, n. 13 com o dossiê RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS, GÊNERO E EDUCAÇÃO e os artigos de fluxo contínuo sob a responsabilidade dos editores. A revista foi uma das vencedoras do edital 01/2013 com o apoio financeiro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – ANPEd  e  da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do Ministério da Educação (MEC).

  • nº Esp. (2014) - Estudos em Educação Matemática com Fundamentos na Teoria Histórico-Cultural
    v. 8

    A equipe da revista POIÉSIS – Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação - apresenta o Número Especial de 2014 sob o título Estudos em Educação Matemática com Fundamentos na Teoria Histórico-Cultural. Este número foi organizado pelos Pesquisadores Doutores Manoel Oriosvaldo de Moura (FE-USP-BRASIL), Ademir Damazio (UNESC-BRASIL) e Josélia Euzébio da Rosa (UNISUL-BRASIL).