ANÁLISE E CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA DO SOLO EM LOCAIS DE ACOMODAÇÃO DE RESÍDUOS HOSPITALARES NO MUNICÍPIO DE CUITÉ-PB

Autores

  • Breno Magela Bezerra da Costa UFCG
  • Jean Carlos Dantas de Oliveira UFERSA
  • Thiago Pereira de Sousa UFPB
  • Paulo Cássio Alves Linhares UFERSA
  • Josimar Nogueora da Silva UFERSA

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v6e1201783-100

Palavras-chave:

Meio ambiente, poluição, saúde pública.

Resumo

A geração de resíduos oriundos das atividades humanas faz parte da própria história do homem, porem a partir da segunda metade do século XX. Com o aumento do descarte dos produtos de utilidade após seu primeiro uso, há um desequilíbrio entre as quantidades de resíduos descartadas e as reaproveitadas. Os resíduos hospitalares são parte importante do total de resíduos sólidos urbanos, não necessariamente pela quantidade gerada, mas pelo potencial de risco que representam à saúde e ao meio ambiente. O trabalho foi desenvolvido na zona rural do município de Cuité, localizado na região do Curimataú, interior do Estado da Paraíba, no período de fevereiro a junho de 2013. Foram coletadas amostras de solo em cinco pontos distintos, sendo os pontos três na área que continham RSS e dois na área onde não havia despejo de RSS. Foi verificado pH, acidez trocável e teores de metais (Cu, Fe, Mn e Zn). Os valores médios de pH em H2O obtidos, variaram de pouco ácido a neutro no solo com lixo hospitalar (pH 6,4 a 6,64), e de ácido a muito ácido no solo sem lixo hospitalar (pH 4,4 e 4,88). A acidez trocável em titulação com NaOH 0,1N mostrou que os maiores valores gastos na titulação foram nas amostras livres de resíduos de serviços de saúde (Pontos 4 e 5, com 0,8meq/100g). Os teores médios dos metais Cu, Fe, Mn e Zn mostraram diferenças, entre as amostras com e livres de RSS. Os teores de Zn na área com RSS apresentaram-se acima do valor de referência de qualidade (VRQ), indicando poluição em estagio abaixo do valor de prevenção (VP).

Downloads

Publicado

2017-05-10

Edição

Seção

Artigos