A DEGRADAÇÃO NAS MARGENS DE ARROIOS NO MUNICIPIO DE IPIRANGA

Autores

  • Décio Dalmolim
  • Jairo Afonso Henkes

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v3e22014363-383

Palavras-chave:

Áreas Degradadas, Sustentabilidade Ambiental, Margens de Arroios, Produção Familiar

Resumo

A Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, tendo como referencial básico os desafios e diretrizes das necessidades atuais, têm procurado articular esforços integrados com as demais instituições públicas e privadas,
com objetivo de construir a necessária convergência entre as políticas de desenvolvimento agropecuário e a recuperação e conservação dos recursos naturais, visando o desenvolvimento sustentável e mais equilibrado das diferentes regiões do Estado. O programa análise das áreas degradadas em margens de arroios em (UPFS – unidades de produção familiar) do projeto de diversificação nas unidades produtoras de tabaco no município de Ipiranga– PR, sintetiza uma iniciativa do Governo Estadual, através do Instituto Emater, para apoiar os produtores rurais interessados em promover, de forma planejada, a conjugação de ações de conservação e recuperação dos recursos naturais, simultaneamente à melhoria da produtividade agrícola, com ganhos econômicos. Em síntese, o Programa incorpora o desafio de ampliar a cobertura florestal com essências nativas e avançar na adoção de boas práticas agrícolas nas atividades agrícolas mais expressivas em termos de ocupação do solo, com incentivos aos produtores interessados, através do fornecimento de assistência técnica ao planejamento individual da propriedade, à implantação das atividades de recuperação e conservação de recursos naturais, e à renovação ou implantação de lavouras. Trata-se de uma iniciativa inovadora e estruturante que, ao mesmo tempo, se constitui em importante experiência piloto, em vista das dificuldades e obstáculos a superar, considerando os padrões atuais de degradação dos recursos naturais e os elevados custos que sua recuperação impõe aos produtores rurais. Nossa expectativa é a de que as propriedades rurais beneficiadas se constituam, nos próximos anos, em unidades de referências e de demonstração em recuperação agroambiental, para as várias regiões do município. Ao mesmo tempo, tais experiências se constituirão em bases sólidas para estender à todos os produtores rurais, através dos instrumentos de políticas públicas de crédito rural e de incentivos econômicos, as oportunidades de avançar na agricultura paranaense, conservando e recuperando os recursos naturais. Este é o verdadeiro caminho da sustentabilidade.

Biografia do Autor

Décio Dalmolim

Acadêmico do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental – Unisul Virtual.

Jairo Afonso Henkes

Professor do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental e do Programa de Pós Graduação em Gestão Ambiental da Unisul. Mestre em Agroecossistemas. Especialista em Administração Rural.

Downloads

Publicado

2014-11-11

Edição

Seção

Estudos de Caso