AS RELAÇÕES SOCIOAFETIVAS E AS INTERAÇÕES NO ENSINO REMOTO EMERGENCIAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/prppge.v15e282021324-343

Palavras-chave:

Ensino Remoto Emergencial, Interações, Relações Socioafetivas.

Resumo

Este artigo tem como objetivo conhecer como ocorreram as relações socioafetivas e as interações no ensino remoto emergencial na rede estadual de Santa Catarina com base no contexto vivenciado numa escola polo da cidade de Tubarão, região sul de Santa Catarina. A pesquisa foi realizada durante o período de pandemia ocasionado pelo SARS-CoV-2. É uma pesquisa de cunho qualitativo, classifica-se como um estudo de campo, cujo instrumento de coleta de dados foram dois questionários, disponibilizados na ferramenta Google Forms, tendo como sujeitos os professores, pais e estudantes da referida unidade escolar; os dados empíricos foram analisados à luz do referencial teórico de base. Conclui-se que as relações e as interações constituem a prática pedagógica, que esta deve ser planejada e desenvolvida com intencionalidade, sensibilidade e afeto, dado o direito de acesso, liberdade, autonomia e educação integral que devem ser garantidos pela escola.

Biografia do Autor

Maria Sirlene Pereira Schlickmann, Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL

Professora do Porgrama de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UNISUL

Downloads

Publicado

2022-01-31

Edição

Seção

Artigos de Demanda Contínua