DETERMINAÇÃO DO POTENCIAL DE GERAÇÃO DE BIOGÁS A PARTIR DA BIODIGESTÃO ANAERÓBIA DE RESÍDUOS DA CULTURA DA BANANA INOCULADO COM DEJETO ANIMAL EM ENSAIO BMP

Autores

  • Rafaela Franqueto FURB
  • Ester Kelly Starick FURB
  • Joel Dias da Silva FURB

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e02020478-493

Palavras-chave:

Folha de bananeira. Dejeto bovino. Codigestão anaeróbia. Biogás.

Resumo

Rafaela Franqueto[1]

Ester Kelly Starick[2]

Joel Dias da Silva[3]

 

 

RESUMO

Os resíduos do agronegócio apresentam potencial de reaproveitamento, em especial, por seu valor energético, na utilização como matéria-prima (biomassa) para produção de biogás. Neste processo de reaproveitamento, o ensaio do Potencial Bioquímico de Metano (BMP) pode ser utilizado na determinação de quão representativo é este potencial, ajudando na tomada de decisão na escolha de processos de valorização. O BMP é um ensaio efetuado em laboratório, em condições controladas, segundo recomendações de normas técnicas. Neste contexto, o presente estudo buscou determinar o potencial de geração de biogás a partir de resíduos de cultura de banana inoculado com dejetos animais em diferentes proporções utilizando BMP. O trabalho constituiu-se, inicialmente, de uma revisão bibliográfica, e posteriormente de ensaio experimental. Na etapa experimental, realizou-se: coleta e secagem dos resíduos (folha de bananeira e dejeto bovino), a realização de análises (série de sólidos, umidade, pH), que permitiram determinar as proporções a serem trabalhadas no ensaio experimental, montagem e o monitoramento dos reatores BMP por 60 dias por meio da verificação da variação de temperatura e pressão. Após os 60 dias, os resultados foram analisados levando em consideração a configuração (dejeto bovino:folha de bananeira), quando por fim foi possível determinar que o reator C  (10:1) foi aquele que apresentou os melhores resultados para a geração de biogás quando comparado com os demais reatores, com uma produção máxima de 0,83 NmL de biogás no 36º. dia. O reator A (proporção 1:1) e reator B (proporção 4:1) alcançaram a produção máxima no 7º. dia e 8º. dia; respectivamente, ambos com 0,35 NmL.

 

 

 

Biografia do Autor

Rafaela Franqueto, FURB

Doutoranda em Engenharia Ambiental, Mestra em Engenharia Sanitária e Ambiental, Engenheira Ambiental. Universidade Regional de Blumenau. rafaela.eng@meioambiente.eng.br

Ester Kelly Starick, FURB

Acadêmica do Curso de Engenharia Química, Bolsista PIBIC – CNPQ. Universidade Regional de Blumenau. esterkelly51@gmail.co

Joel Dias da Silva, FURB

Engenheiro Sanitarista Mestre e Doutor em Engenharia Ambiental, Professor Pesquisador, do curso de Engenharia de Produção e Design; Mestrado e Doutorado em Engenharia Ambiental do Programa de Pós-Graduação. Universidade Regional de Blumenau. dias_joel@hotmail.com

Downloads

Publicado

2020-02-21