DEPURAÇÃO DE COMPOSTOS ODORANTES EM EMISSÕES FUGITIVAS DE ATERRO SANITÁRIO UTILIZANDO CAMADA DE COBERTURA CONVENCIONAL E SUBSTRATOS RICOS EM MATÉRIA ORGÂNICA

Autores

  • Yankha Myllena da Silva Van Tienen UNICENTRO
  • Rafaela Franqueto FURB
  • Erivelton César Stroparo UNICENTRO
  • Alexandre Rodrigues Cabral Universidade de Sherbrooke, Sherbrooke (Quebec), Canadá,
  • Camilo Bastos Ribeiro UFSC
  • Waldir Nagel Schirmer UNICENTRO

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e02020408-424

Palavras-chave:

Biogás. Câmara de Fluxo. Olfatometria Dinâmica. Poluição Atmosférica. Resíduo Sólido Urbano.

Resumo

O aterro sanitário é uma importante fonte antropogênica de gases odorantes, tanto na forma de emissões fugitivas (pela camada de cobertura) quanto pontuais (drenos). Para a mitigação de emissões desta natureza, o presente trabalho investigou a bio-oxidação passiva de compostos odorantes do biogás de um aterro sanitário sob condições normais e melhoradas, usando solo do aterro (originalmente com baixo teor de matéria orgânica) misturado com dois tipos de substratos: composto (na própria camada de cobertura) e escuma de estação de tratamento de esgotos (como meio filtrante em colunas-piloto). Duas campanhas de análises olfatométricas foram realizadas para cada sistema avaliado, de modo a determinar as concentrações odorantes (em UO.m-3) do gás tratado comparativamente ao biogás bruto. Os resultados mostraram que houve uma grande diferença entre as concentrações odorantes do biogás bruto e das áreas controladas e melhoradas, resultando em eficiências de remoção de odor superiores a 89% para as quatro campanhas. Contudo, não foi verificada diferença estatística entre as áreas controle e enriquecida nas campanhas realizadas mostrando que, para as condições do estudo, apenas a cobertura tradicional do aterro sanitário é suficiente para remoção dos compostos odorantes.

 

 

Biografia do Autor

Yankha Myllena da Silva Van Tienen, UNICENTRO

 

[1] Engenheira Ambiental, Curso de Engenharia Ambiental, Universidade Estadual do Centro-oeste (UNICENTRO). E-mail: yankha.tienen@hotmail.com 

Rafaela Franqueto, FURB

Engenheira Ambiental, Doutoranda em Engenharia Ambiental. Universidade Regional de Blumenau (FURB). E-mail: rafaela.eng@meioambiente.eng.br

Erivelton César Stroparo, UNICENTRO

Químico, Mestre em Bioenergia, Professor Colaborador do curso de Engenharia Ambiental. UNICENTRO. E-mail: stroparo.erivelton@gmail.com

Alexandre Rodrigues Cabral, Universidade de Sherbrooke, Sherbrooke (Quebec), Canadá,

Grupo Geoambiental, Professor do curso de Engenharia Civil da Universidade de Sherbrooke, Sherbrooke (Quebec), Canadá, Email: alexandre.cabral@usherbrooke.ca

Camilo Bastos Ribeiro, UFSC

Engenheiro Ambiental, Mestre em Bioenergia, Doutorando em Engenharia Ambiental. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). E-mail: cb_ambiental@hotmail.com

Waldir Nagel Schirmer, UNICENTRO

Engenheiro químico, Doutor em Engenharia Ambiental, Professor Associado do curso de Engenharia Ambiental. UNICENTRO. E-mail: wanasch@hotmail.com

Downloads

Publicado

2020-05-29