A IMPORTÂNCIA DO PROFISSIONAL HABILITADO E OS RISCOS ASSOCIADOS AO CADASTRO AMBIENTAL RURAL

Autores

  • Elfany Reis do Nascimento Lopes Universidade Estadual Paulista - Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba
  • Jomil Costa Abreu Sales Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL
  • Giovane Eid Lourenço de Carvalho UNESP
  • José Luiz Albuquerque Filho UNESP
  • Roberto Wagner Lourenço UNESP

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v7e420184-25

Palavras-chave:

Sobreposição. Erros Técnicos. Profissional Ambiental. CAR. Imóveis Rurais.

Resumo

O processo de cadastro dos imóveis rurais encontra-se em andamento no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e, em vias de finalização, vem apresentando uma série de deficiêncas que devem ser analisadas com cautela. Objetivou-se avaliar os registros das informações realizadas no cadastro dos imóveis rurais município de Ibiúna – São Paulo no CAR, identificando erros técnicos e científicos da área ambiental que poderiam ser minimizados quando da realização do procedimento pelo profissional da área ambiental. Foi consultada a base de dados pública online do Sistema Nacional de Cadastro Ambiental (SICAR) utilizando filtros de pesquisa para a cidade de Ibiúna. Foram investigadas as informações do quantitativo de propriedades e das categorias de dados obrigatórios para o registro. Até fevereiro de 2018 no Estado de São Paulo há registrados 328.730 imóveis rurais com um total de 19.191.786 ha. Para Ibiúna, foram observados 2.224 imóveis rurais com 105.639,08 ha. A análise indicou que os registros atuais carecem de precisão e veracidade nos dados registrados. Foram verificadas sobreposições entre propriedades e em todas as categorias do cadastro, resultando em 29.895 ha de área territorial duplicada e 612 ha de áreas de preservação permanente sobrepostas. Registrou-se o indicativo de presença de restinga e manguezais que não fazem parte da dinâmica ecológica local. Os problemas identificados poderiam ser minimizados caso os cadastros fossem direcionados a técnicos e profissionais capacitados a realizá-los, reforçando a importância do profissional da área ambiental para que o CAR tenha coerência no objetivo a que se propõe.

Biografia do Autor

Elfany Reis do Nascimento Lopes, Universidade Estadual Paulista - Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba

Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Biólogo. Doutor em Ciências Ambientais pela Universidade Estadual Paulista - Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba /Laboratório de Geoprocessamento e Modelagem Matemática Ambiental. E-mail:  elfanyl@hotmail.com

Jomil Costa Abreu Sales, Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL

Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL . Departamento de Ciência e Tecnologia Doutorando em Ciências Ambientais pela UNESP Sorocaba, Mestre em Ciências Ambientais na UNESP Sorocaba. Bolsista do Programa Novos Talentos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas.. E-mail: jomilc@gmail.com

Giovane Eid Lourenço de Carvalho, UNESP

Graduando em Engenharia Ambiental pela UNESP Sorocaba. E-mail: giovane.eidii@gmail.com

José Luiz Albuquerque Filho, UNESP

Doutor em Geociências e Meio Ambiente pela UNESP. Hidrogeólogo Pesquisador III do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT.  E-mail:  alzellu@ipt.br

Roberto Wagner Lourenço, UNESP

Professor Adjunto do Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba. Livre Docente em Geoprocessamento pela UNESP Sorocaba. Doutor em Geociências e Meio Ambiente pela UNESP Rio Claro. E-mail: robetoow@sorocaba.unesp.br

Downloads

Publicado

2018-12-12

Edição

Seção

Artigos