EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PERCEPÇÃO DA IMPLANTAÇÃO DE COLETA SELETIVA DE LIXO URBANO EM DE ALEGRE, ES

Autores

  • Thamara Lins Bravo UFES
  • Anderson Lopes Peçanha UFES
  • Elias Terra Werner UFES
  • Alexandre Augusto Oliveira Santos IFES

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v7e12018375-396

Palavras-chave:

Gestão ambiental. Mobilização social. Resíduos sólidos. Sensibilização.

Resumo

Trabalhar boas práticas ambientais é muito importante para que ocorra o desenvolvimento de uma responsabilidade e sensibilização com o meio, impulsionando a mudança de valores e comportamentos que busquem soluções para os problemas nos espaços naturais. Este estudo teve como objetivo fazer um diagnóstico sobre os problemas ambientais causados pelo lixo e como estudantes do Ensino Médio percebem os resíduos sólidos produzidos na cidade de Alegre-ES. Para tal a metodologia aplicada teve uma abordagem quali-quantitativa, os métodos de coleta de dados foram observação, questionário estruturados, palestras e campanhas educativas aplicados em uma escola estadual da cidade de Alegre-ES. A averiguação dos dados dos questionários foi feita com a porcentagem da freqüência das respostas obtidas, como ferramenta estatística e análise de conteúdo das palestras e participação dos sujeitos. Com os questionários foi possível expor os problemas do gerenciamento dos resíduos sólidos em Alegre-ES como a não preocupação com o descarte de lixo (90%), desconhecimento dos PEVs (73%), da diferenciação dos materiais recicláveis e do descarte correto dos resíduos perigosos, onde 67% dos respondentes utilizam a coleta regular. Com este estudo, junto as ações de educação ambiental na escola trouxe uma compreensão por parte dos alunos da importância da atuação dos catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis, onde estes alunos poderão atuar como disseminadores e sensibilizadores do programa de coleta, contribuindo de forma significativa com a participação da sociedade na reciclagem.

Biografia do Autor

Thamara Lins Bravo, UFES

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES (2016). E-mail: thamaralbravo@gmail.com

Anderson Lopes Peçanha, UFES

Agronomia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2003), graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Salgado de Oliveira (2007), mestrado em Solos e Nutrição de Plantas (2007) e doutorado em Fisiologia Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (2010). Pós-doutorado em Produção Vegetal pela Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente é professor adjunto II da Universidade Federal do Espírito Santo. E-mail: lopes.pecanha@gmail.com

Elias Terra Werner, UFES

bacharelado e licenciatura em Ciências Biológicas, mestrado em Biologia Vegetal com ênfase em Fisiologia Vegetal e doutorado em Produção Vegetal com ênfase em Biotecnologia e Ecofisiologia Vegetal, todos os títulos pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professor colaborador do Programa de Pós-graduação em Biologia Vegetal (UFES-Vitória) e Professor permanente do Programa de Pós-graduação em Ensino, Educação Básica e Formação Docente (UFES-Alegre). E-mail: elias_werner@ig.com.br

Alexandre Augusto Oliveira Santos, IFES

Ciências Biológicas (Licenciado e Bacharel) pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Rio Claro (2006). Doutor em Aquicultura pelo Centro de Aquicultura da UNESP (CAUNESP) , em Jaboticabal,SP (2008 - 2012), com período sand-wich no Institut National de la Recherche Agronomique (INRA, Rennes, França). Foi estagiário de Pós-Doutorado (2012-2014) pelo CAUNESP e pelo Institute National de la Recherche Agronomique (INRA, Rennes - França). Professor Efetivo do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES), Campus de Alegre. E-mail: alexandre.santos@ifes.edu.br

Downloads

Publicado

2018-02-19

Edição

Seção

Artigos