O retrato do racismo no Brasil

132 anos após a abolição da escravidão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.29293/rdfg.v8i01.311

Resumo

O objetivo do presente trabalho é introduzir a discussão sobre o racismo e desigualdade racial na sociedade brasileira. Sendo assim, pretende-se analisar a conjuntura em que a população negra está inserida no Brasil, as consequências da escravidão, do racismo e das desigualdades raciais ainda nos dias atuais. Procura-se, também, apontar evoluções legislativas e políticas que vêm sendo implementadas em prol da população negra. Todavia, a pesquisa revela que os avanços ainda não foram suficientes para promover substancialmente a igualdade entre negros e brancos, razão pela qual aposta-se na mudança de pensamento e no reconhecimento dos privilégios decorrentes da cor de pele, bem como na expansão de legislações, ações, sistemas e políticas que visem extirpar o racismo e a desigualdade racial no Brasil. O raciocínio dedutivo é ferramenta essencial à execução deste trabalho, uma vez que a partir de dados advindos das publicações oficiais de fontes de pesquisa, que serão obtidos por meio de matéria de jornais, artigos, doutrinas, jurisprudência, será possível constatar a existência do racismo estrutural, fenômeno que apresenta grandes reflexos na forma em que as relações e o Estado brasileiro são organizados..

   

Biografia do Autor

  • Ary Fernando Rodrigues Nascimento, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

    Especialista em Direito pela Faculdade de Direito da UFMG e Mestre em Direito Administrativo pela Faculdade de Direito da UFMG. Advogado. Professor Assistente da Faculdade Mineira de Direito da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

     
  • Deysiane Cristina Gomes, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

    Graduada em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG)

     

Downloads

Publicado

2021-09-20

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

O retrato do racismo no Brasil: 132 anos após a abolição da escravidão. Revista de Direito da Faculdade Guanambi, Guanambi, v. 8, n. 01, p. e311, 2021. DOI: 10.29293/rdfg.v8i01.311. Disponível em: https://portaldeperiodicos.animaeducacao.com.br/index.php/RDFG/article/view/13955.. Acesso em: 18 jun. 2024.