EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: ACERCA DE UMA ESPECIFICIDADE QUE EPISTEMOLOGIA NENHUMA RESPONDE

Autores

  • Paulo Evaldo Fensterseifer Unijuí

DOI:

https://doi.org/10.19177/prppge.v14e25202085-98

Palavras-chave:

Escola republicana, Epistemologia da Educação Física, Especificidade da escola.

Resumo

O presente artigo aborda a “natureza” e a especificidade da Educação Física escolar. Para isso, ensaia respostas a três questões: 1) No contexto da formação dos campos científicos, qual o delineamento de um possível estatuto científico da Educação Física? 2) No contexto das teorias pedagógicas e/ou dos campos profissionais, qual a natureza da Educação Física? e 3) Como se dá a especificidade da Educação Física no campo escolar? Diante destes desafios, o estudo realiza uma análise crítica da tentativa de resolução limitada à epistemologia, sustentando que as questões postas necessitam de um equacionamento ético-político. A título de considerações finais, o artigo aponta alguns balizadores considerados importantes para o enfrentamento do conjunto das questões, que nos desafiam no campo educacional em consonância com o campo ético-político que caracteriza a forma de sociabilidade republicana e democrática.

Biografia do Autor

Paulo Evaldo Fensterseifer, Unijuí

Paulo Evaldo Fensterseifer: Licenciado em Educação Física pela UFSM (1985); Licenciado em Filosofia pela UNIJUÍ (1989); Especialização em Filosofia Política pela UNIJUÍ (1990) e Doutorado em Educação pela UNICAMP (1999). Atualmente é Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências – Mestrado e Doutorado, e Professor do Departamento de Humanidades e Educação da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ. 

 

Downloads

Publicado

2020-08-26

Edição

Seção

Dossiê Temático