AINDA A DISCUTIR O CÂNONE? VOZES SOBRE/DE ESCRITORES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/prppge.v15e2720215-18

Palavras-chave:

Campo literário, Cânone, Leitura, Escritores.

Resumo

Começaremos, neste texto, por refletir sobre o estatuto dos textos a partir do conceito de campo literário, tal como entendido por Pierre Bourdieu, como espaço no qual a escassez do tipo de capital em jogo é geradora de forças que, por seu turno, irão atuar sobre os seus integrantes, segundo as posições que ocupam e segundo a forma como concorrem para conseguir ocupar, manter ou transformar essas posições. Procuraremos articular esta perspetiva com o processo de constituição do cânone literário. Na tensão entre instâncias internas e externas de validação/valoração dos textos, elegemos a atribuição do prémio Nobel como exemplo de realidade na qual a tensão referida se manifesta de forma clara. Assim, ao mesmo tempo que analisaremos os critérios apresentados para a atribuição do prémio a um determinado escritor, tomaremos os textos que alguns dos escritores produziram nas palestras proferidas aquando da aceitação do prémio, procurando destacar o modo como neles emergem o seu entendimento das funções da literatura e da leitura enquanto atividade eminentemente humana/humanizadora.

Downloads

Publicado

2021-08-13

Edição

Seção

Dossiê Temático