USO DO BIODIGESTOR NA SUINOCULTURA: UMA ALTERNATIVA À SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NA REGIÃO DO MACIÇO DE BATURITÉ, CEARÁ

Autores

  • Juan Carlos Alvarado Alcócer Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
  • Olienaide Ribeiro de Oliveira Pinto Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
  • Jangirgledia de Oliveira Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
  • Maria Elanny Damasceno Silva Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
  • Ari Clecius Alvez de Lima Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (NUTEC)

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e22020783-818

Palavras-chave:

Atividade suinícola. Impactos ambientais. Digestão anaeróbia. Energia renovável.

Resumo

A suinocultura é significativa do ponto de vista social e econômica. Sua exploração é apontada pelos órgãos ambientais como uma atividade causadora de degradação ambiental gerando grande quantidade de resíduos. No Maciço de Baturité uma parte de sua população rural sobrevive da exploração da suinocultura e os dejetos gerados frequentemente são desperdiçados. Nota-se escassez de trabalhos que apresentem a solução total ou parcial do problema ambiental gerado pela suinocultura em propriedades rurais no Maciço. O objetivo desse trabalho é mostrar que o uso do biodigestor na suinocultura é uma alternativa sustentável para a região do Maciço, podendo contribuir para o controle das emissões de gases de efeito estufa, redução dos impactos ambientais e produção de energia renovável e adubo orgânico. Realizou-se um levantamento dos biodigestores em propriedades rurais de suínos dos municípios do Maciço. Foram entrevistados agricultores para saber a destinação dada aos produtos da digestão anaeróbia (biogás e biofertilizante) e observaram-se os impactos ambientais gerados por resíduos animais, além de, realizar análise dos gases do biogás. Portanto, a produção do biogás e do biofertilizante pelo sistema de biodigestão agrega valor à propriedade rural, tanto pelo fato da geração de energia renovável quanto à reciclagem de nutrientes e saneamento ambiental.

Biografia do Autor

Juan Carlos Alvarado Alcócer, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Possui graduação em Física com o grau de Bacharel pela Universidad de Costa Rica (1988), Mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (1994) e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (1999). Foi professor Titular da Universidade de Fortaleza . Na UNIFOR foi coordenador das turmas 1 e 2 do curso de especialização em Automação Industrial. Tem experiência em projetos de pesquisa e desenvolvimento para o setor elétrico, e também na área de Ciência da Computação, com ênfase em Software Básico. Tem orientado trabalhos de graduação na área de engenharia elétrica, engenharia de controle e automação e engenharia biomédica. Tem atuado principalmente nos seguintes temas: setor elétrico, simulação computacional, filmes de diamante, ensino em engenharia, software e engenharia biomédica. Nos últimos anos tem estudado a energia da biomassa. Tem experiência na construção de gaseificadores e biodigestores. Atualmente é professor da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB no curso de Engenharia de Energias do Instituto de Engenharia de Desenvolvimento Sustentável. É também professor efetivo do Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis - MASTS

Olienaide Ribeiro de Oliveira Pinto, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal do Ceará (2006), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal do Ceará (2008) e doutorado em Agronomia/Fitotecnia pela Universidade Federal do Ceará (2016). Atualmente é bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD) da CAPES no Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis (MASTS) na Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) com pesquisas, ensino e coorientações no estudo de dessalinizadores, de políticas públicas de acesso à água e de energia da biomassa por meio de biodigestores. Possui experiência nas seguintes áreas: Engenharia Agrícola (irrigação), Fitotecnia (doenças de fruteiras tropicais, substratos e manejo de grandes culturas) e energia da biomassa por meio de biodigestores.

Jangirgledia de Oliveira, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis - MASTS(em andamento) pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB. Especialista em Biologia e Química - Universidade Regional do Cariri(URCA), em Gestão Pública - Universidade Estadual do Ceará(UECE) e em Gestão Escolar - Universidade Estadual Vale do Acaraú(UVA). Licenciada em Ciências com habilitação em Biologia e Química pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Bacharela em Administração pela Universidade Federal do Ceará(UFC). Integrante do grupo de pesquisa Gestão de Políticas Sociais - GPS(UNILAB/CNPQ). Professora da Educação Básica com atuação em Atendimento Educacional Especializado(AEE) e na disciplina de Biologia.

Maria Elanny Damasceno Silva, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Mestrado acadêmico (em andamento) em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis pela Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro Brasileira - UNILAB. Especialista na área de Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pelo Centro Universitário Católica de Quixadá - UniCatólica (2016). Tecnóloga em Agronegócio pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE (2014). Bolsista de pesquisa CAPES/CNPq. Tem experiência nas áreas de administração, economia e alimentos com ênfase em empreendedorismo, socioeconomia, desenvolvimento rural, políticas públicas, sociobiodiversidade e seguridade social.

Ari Clecius Alvez de Lima, Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (NUTEC)

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Ceará (2003), mestrado em Engenharia Civil (Recursos Hídricos) pela Universidade Federal do Ceará (2009) e doutorado em Engenharia Civil (Recursos Hídricos) pela Universidade Federal do Ceará (2015). Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Saneamento Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: processos oxidativos avançados, eletrocoagulação e eletrooxidação, adsorção, análise de regressão, delineamento de experimentos, análise multivariada, cromatografia.

Downloads

Publicado

2020-07-17

Edição

Seção

Estudos de Caso