ANÁLISE DA QUALIDADE HÍDRICA DO RIO TEGA, CAXIAS DO SUL- RS, BRASIL

Autores

  • Thaise Sutil Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC).
  • Daiana Maffessoni UERGS
  • Tatiane Benvenuti UFRGS
  • Nilzo Ivo Ladwig UNESC/UNISUL
  • Álvaro José Back EPAGRI/UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v7e22018124-142

Palavras-chave:

Recursos hídricos. Indicadores de qualidade. Análise integrada.

Resumo

A água é dispensável para a manutenção da vida em todos os níveis, assim conhecer a qualidade da água disponível é fundamental para a gestão dos recursos hídricos. O rio Tega é um dos afluentes do rio das Antas e drena as águas da zona norte da cidade de Caxias do Sul, estado do Rio Grande do Sul. O estudo tem como objetivo analisar a qualidade hídrica do rio Tega utilizando como indicadores o índice de estado trófico (IET), o índice de qualidade de água (IQA) e o protocolo de avaliação rápida da diversidade de habitats (PAR). Na avaliação da qualidade do recurso hídrico foram selecionados três pontos de coleta: nascente, curso e foz. As amostras de água foram coletadas nos meses de setembro, outubro e novembro no ano de 2014. Os resultados do PAR classificaram as áreas dos pontos de coletas como “alterada”, “impactada” e “natural” para nascente, curso e foz, respectivamente. Nos resultados do IET a nascente foi classificada como supereutrófica, o curso como hipereutrófica e a foz como eutrófica. O IQA foi classificado como “ruim” para os dois primeiros pontos o que reforça os resultados encontrados pelo PAR e IET, já a foz foi classificada como “regular”, o que pode estar relacionado ao efeito diluição. As condições sanitárias observadas no rio Tega trazem preocupação, reforçando a necessidade de políticas de saneamento com objetivo de melhorar a qualidade ambiental do recurso hídrico.

Biografia do Autor

Thaise Sutil, Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC).

Engenheira de Bioprocessos e Biotecnologia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (2014). Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais na Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). E-mail: thaise.sutil@gmail.com

Daiana Maffessoni, UERGS

Engenheira de Bioprocessos e Biotecnologia - ênfase ambiental pela Uergs (2008), Mestre em Engenharia pela UFRGS (2012). Atualmente atua como professor assistente na Uergs - Unidades Litoral Norte e Bento Gonçalves e coordenadora do Curso de Ciências Biológicas - ênfase em Gestão Ambiental Marinha e Costeira e Biologia Marinha e Costeira na Unidade Litoral Norte/Osório. E-mail: mafadaia@gmail.com

Tatiane Benvenuti, UFRGS

Pós- Doutoranda no Programa de Qualidade Ambiental da Universidade Feevale (2017). Doutora em Engenharia - Área de concentração: Ciência e Tecnologia de Materiais do Programa de Pós Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais - PPGE3M - UFRGS (2013-2017). Doutorado Sanduíche na Universitat Politècnica de Valência (UPV- Espanha) (2016-2017). Mestre em Engenharia pelo PPGE3M- UFRGS (2012). Graduação em Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul- UERGS (2008).  E-mail: benvenutitatiane@gmail.com

Nilzo Ivo Ladwig, UNESC/UNISUL

Graduado em Geografia Bacharelado e Licenciatura pela Universidade Federal de Santa Maria (1992/1993), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998) e doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Santa Catarina (2006). Atualmente é professor do Programa de Pós Graduação em Ciências Ambientais da Universidade do Extremo Sul Catarinense e professor da Universidade do Sul de Santa Catarina.  E-mail: ladwig@unesc.net

Álvaro José Back, EPAGRI/UFRGS

Doutorado em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil(1997). Pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina. E-mail: ajb@unesc.net

Downloads

Publicado

2018-04-27

Edição

Seção

Artigos