ESTUDO DE FATORES DE DEGRADAÇÃO AMBIENTAL NA APA DE SÃO DESIDÉRIO

Autores

  • Robson Braga Dantas

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v8e32019673-687

Palavras-chave:

Carste, Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Exploração.

Resumo

Unidades de Conservação (UC), quando bem gerenciadas, podem contribuir para a sustentabilidade em regiões cársicas. O objetivo da pesquisa foi realizar um levantamento de fatores de degradação ambiental das feições cársticas observadas na Área de Proteção Ambiental (APA) de São Desidério-BA. Mediante trabalhos de campo, com Global Positioning System (GPS) e Câmera Fotográfica, relacionou-se o equilíbrio ambiental às interferências acerca do uso do solo através de uma abordagem qualitativa, tendo como base o mapeamento geomorfológico da área analisada. Constatou-se os seguintes fatores: captação hídrica nas nascentes de João Rodrigues e Olho d´água das Marias e Sumidouro João Baio, com propósito no uso, principalmente doméstico e agropecuário; captação hídrica em poço artesiano nas localidades de Periperi e Boa Vista; extração de maciços com feições de karrens e verrugas a margem direita da BR 135, sentido NO-SE e na Dolina Buraco do Inferno da Sucupira. Estas ações degradantes norteiam-se com finalidades de obtenção de rochas fragmentadas para pavimentação de calçadas e fabricação de britas. Fora da APA, nas vizinhanças de seu entorno, também se verificou atividades de mineração e vulnerabilidade ambiental na nascente denominada capim branco sentido SO. Este trabalho serve para expor de maneira nítida um preocupante diagnóstico do quanto suas potencialidades cársticas vêm sendo suprimidas de maneira insustentável.

 

Biografia do Autor

Robson Braga Dantas

Núcleo Tecnológico de Educação (NTE) da Bacia do Rio Grande/Barreiras-BA. Docente de Geografia.

Downloads

Publicado

2019-10-03

Edição

Seção

Estudos de Caso