ANÁLISE DIAGNÓSTICA DA ÁREA DA BARRAGEM SANTA TERESA EM RELAÇÃO À SITUAÇÃO SOCIOAMBIENTAL E AO PLANO DIRETOR DE RIBEIRÃO PRETO - SP

Autores

  • Marcelo Martins Garcia scola Ensino Integral EESA
  • Flávia Darre Barbosa PPGCam. UFSCar.

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v6e3201752-67

Palavras-chave:

Barragem Santa Teresa, Recursos Hídricos, Gestão Ambiental., Diagnóstico Socioambiental, Plano Diretor Municipal, Enchentes.

Resumo

Este artigo é resultado de uma pesquisa realizada na área Barragem Santa Teresa- obra hidráulica construída para contenção de enchentes, localizada no Córrego Ribeirão Preto, no município de Ribeirão Preto, SP. Foi realizada uma análise diagnóstica para verificar a situação socioambiental atual da área da barragem a fim de realizar uma comparação com as diretrizes de zoneamento do Plano Diretor do município. Além da pesquisa documental, foram realizados trabalhos de campo “in loco” com intuito de realizar o levantamento da situação da área, utilizando algumas técnicas, como: (a) captação de imagens do local, (b) observação do uso e ocupação da terra e (c) observação de materiais cartográficos. Observou-se que a área da barragem está sofrendo com diversos impactos socioambientais, sobretudo pela ocupação ilegal caracterizada pela “favelização” na área de vazão, à jusante da barragem. Tal situação está em desacordo com as propostas de Zoneamento do Plano Diretor do município. Os principais problemas encontrados foram apresentados em um quadro comparativo entre o Artigo 1° da Resolução CONAMA 1/85 que define impactos ambientais, e a situação atual da área da Barragem Santa Teresa. Por fim, foi proposta uma revisão de alguns pontos do Plano Diretor e o cumprimento da legislação ambiental referente a área da barragem, com a intenção de minimizar os impactos socioambientais, e contribuir com a boa Gestão Ambiental da área.

Biografia do Autor

Marcelo Martins Garcia, scola Ensino Integral EESA

Especialista em Gestão Ambiental - Professor da rede Pública de Ensino. Escola Ensino Integral EESA. Batatais. Diretoria de Ensino de Ribeirão Preto. 

Flávia Darre Barbosa, PPGCam. UFSCar.

Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Ciências Ambientais. PPGCam. UFSCar. 

Downloads

Publicado

2017-11-09

Edição

Seção

Artigos