DIAGNÓSTICO, CARACTERIZAÇÃO E PERSPECTIVAS DO DESENVOLVIMENTO DE ECOSTARTUPS NO BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e22020308-331

Palavras-chave:

Ecostartups, Sustentabilidade, Empreendedorismo, Desenvolvimento sustentável, Inovação, Políticas públicas pela sustentabilidade

Resumo

Este estudo apresenta um diagnóstico e caracterização do desenvolvimento de ecostartups no Brasil. Através da aplicação de questionários online, revisão bibliográfica e pesquisa em bancos de dados disponíveis, foram identificados alguns dos principais aspectos relacionados aos desafios e oportunidades vivenciados pelos empreendedores, e como estes encaram os dilemas do desenvolvimento sustentável. A análise de dados disponíveis (StartupBase e FGV) permitiu estimar que apenas cerca de 1,29% das startups do país são da área ambiental. Percebeu-se que estas ecostartups estão se valendo dos desafios do desenvolvimento sustentável e que maioria delas utiliza algum dos atributos da quarta revolução industrial. A relação desses empreendimentos com o poder público é ainda incipiente, indicando um potencial inexplorado de oportunidades e sinergismos. Apenas 17% das ecostartups amostradas percebem as políticas públicas ambientais como facilitadoras do seu negócio, revelando o quanto essas políticas ainda carecem de instrumentos e incentivos econômicos e tributários no país. Parece haver um descompasso entre o Brasil com os ecossistemas de startups de outros países, que têm se válido de suas políticas públicas para incentivar o empreendedorismo, inovação e sustentabilidade, movimentando e estimulando suas economias.

Biografia do Autor

Farley Rocha Lobo, Universidade Estadual de Minas Gerais - UEMG

Engenheiro Ambiental pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), integrante do Observatório de Políticas Públicas pelas Sustentabilidade (OPPS) e Analista de Projetos de Tecnologia e Sustentabilidade na Cervejaria Ambev.

Alexandre Túlio Amaral Nascimento, Universidade Estadual de Minas Gerais - UEMG

Biólogo (Universidade Federal de Viçosa, 2002), Mestre em Ecologia Aplicada (Universidade de São Paulo, 2008), Doutor em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre (Universidade Federal de Minas Gerais, 2014). Profissional sênior em coordenação de projetos e pesquisas nas áreas de Ecologia Aplicada, Conservação da Biodiversidade e Políticas Públicas Ambientais. Experiência nas áreas de Biologia da Conservação, Ecologia Aplicada e Programas Integrados de Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável, além de prática didática e em consultorias na área ambiental. Professor e pesquisador da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Docente e orientador permanente do Programa de Mestrado Acadêmico em Ciências Ambientais da UEMG. Coordenador do Observatório de Políticas Públicas pela Sustentabilidade (OPPS).

 

Downloads

Publicado

2020-07-17

Edição

Seção

Artigos