PEGADA HÍDRICA DA PRODUÇÃO DE SUÍNOS NA REGIÃO NORDESTE BRASILEIRA

Autores

  • Moisés Dias Gomes de Asevedo UFC
  • Wesley Leitão de Sousa UFC
  • Jeronimo Marcelino Dias UFC.

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v7e32018504-517

Palavras-chave:

Água. Gestão dos recursos hídricos. Valoração ambiental.

Resumo

O presente trabalho abordou questões acerca do volume de água gastos na produção de carne suína no nordeste brasileiro. O objetivo do trabalho foi de analisar a pegada hídrica dos suínos abatidos nos estados da região Nordeste durante o período de 2010 a 2015. Foi utilizada, nesse estudo, a metodologia proposta por Chapagain e Hoekstra (2003), que considera para o cálculo a água consumida na produção de grãos (milho e soja), a água de consumida no processo produtivo da carne suína. Uma vez que a região não se configura como uma grande produtora de milho e soja, logo importando o produto de outro estado, foi percebido um gasto maior na limpeza e dessedentação do animal. O estado do Ceará apresentou uma maior pegada hídrica, embora não seja um grande produtor de milho ou de soja.

Biografia do Autor

Moisés Dias Gomes de Asevedo, UFC

Mestre em Economia Rural - UFC e Graduado em Ciências Contábeis – UFC. E-mail:  moisesdga@gmail.com

Wesley Leitão de Sousa, UFC

Doutorando. E-mail: wesleyleitao@alu.ufc.br

Jeronimo Marcelino Dias, UFC.

Mestre em Economia Rural – UFC e Graduado em Engenharia de Pesca – UFC. E-mail: jeromadias@gmail.com

 

Downloads

Publicado

2018-10-03

Edição

Seção

Artigos