CRÉDITO DE CARBONO

Autores

  • Eliana Eibel Unisul
  • Rosa Beatriz Madruga Pinheiro Unisul

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v4e22015588-601

Palavras-chave:

Crédito de Carbono. Protocolo de Kyoto. Meio Ambiente. Mecanismo de Desenvolvimento Limpo. Efeito Estufa.

Resumo

O problema do Aquecimento Global é sem dúvida assunto importante e imprescindível nos dias atuais, este problema levou as Nações Mundiais a procurarem alternativas para manter o desenvolvimento econômico sem aumentar os níveis de gases de efeito estufa liberados na atmosfera, e desta forma, promover o desenvolvimento sustentável.  Através do Protocolo de Kyoto foram criados os Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL) e, através destes mecanismos os Créditos de Carbono, que podem ser negociados com países desenvolvidos que possuem metas pre-estabelecidas para redução de emissões de gases de efeito estufa. Tal Protocolo foi confeccionado na cidade e Kyoto, no Japão, em 1997, estipulando uma série de metas para a redução de gases poluentes, previamente estabelecidos, pelos países denominados Anexo I (países desenvolvidos que mais poluem o meio ambiente). Uma das formas de assegurara redução dos gases poluentes prevista no protocolo é o mecanismo de desenvolvimento limpo, uma espécie de parceria fixada entre os países em desenvolvimento, que ainda não possuem metas, mas podem contribuir para esta redução, de forma voluntária e sustentável. É justamente a implementação de um programa de MDL que são gerados os créditos de carbono, que podem ser comercializados.

Biografia do Autor

Eliana Eibel, Unisul

Acadêmica do Curso Tecnologia em Comércio Exterior, da Universidade do Sul de Santa Catarina.

Rosa Beatriz Madruga Pinheiro, Unisul

Professora da Unisul

Downloads

Publicado

2015-10-09

Edição

Seção

Estudos de Caso