CARACTERIZAÇÃO DOS EFLUENTES TRATADOS EM ESTAÇÕES COMPACTAS PARA REÚSO DIRETO NÃO POTÁVEL URBANO

Autores

Palavras-chave:

Caracterização de esgoto, Modalidade de Reúso, Diretrizes para reúso, tomada de decisão para implantação de ETEs.

Resumo

A capital do Estado de Alagoas, apesar de passar por obras de coleta de esgoto, ainda necessita de melhorias no saneamento básico para destinar corretamente o esgoto produzido e evitar a poluição e a contaminação dos seus corpos d’água. Essa pesquisa buscou avaliar a possibilidade de reuso do esgoto tratado por estações descentralizadas no meio urbano, no intuito de minimizar os potenciais contaminantes. A área de estudo envolveu a parte alta do município de Maceió, onde a cobertura por rede pública de coleta de esgotos é deficitária. Foram selecionadas três estações compactas de tratamento de esgoto (ETEs), todas tratando esgoto doméstico em condomínios residenciais privados, com tecnologias de tratamento diferentes: anaeróbia (ETE “A”), aeróbia (ETE “B”) e mista (anaeróbia/aeróbia) (ETE “C), com a finalidade de caracterizar e comparar as concentrações efluentes com os padrões para as modalidades de reuso constantes na Resolução n° 54/2005 do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNRH). O tratamento anaeróbio apresentou boa remoção DBO e DQO de 71,54% e 72,34%, respectivamente, mas foi ineficiente na remoção de nutrientes e patogênicos. O tratamento aeróbio apresentou baixa remoção de DBO e DQO, esperada pela sua natureza, com valores médios de 67,37% e 66,72%, respectivamente, e foi ineficiente na remoção de nutrientes e patogênicos. O tratamento misto apresentou boa remoção de DBO e DQO de 77,57% e 75,59%, mas não promoveu remoção de nutrientes e boa desinfecção. No geral, o efluente da ETE “A” atendeu exigências para reuso no meio urbano para os parâmetros fósforo total e pH. O efluente da ETE “B” atendeu exigências para reuso no meio urbano para os parâmetros fósforo total, pH, nitrito e nitrato. E o efluente da ETE “C” atendeu exigências para os parâmetros fósforo total, pH, nitrito, nitrato e coliformes fecais. Diante dos resultados encontrados nas três ETEs monitoradas faz-se necessário adotar pós-tratamento vislumbrando o reuso no meio urbano, visto que essas estações não são fabricadas e otimizadas para prática de reuso.

Biografia do Autor

Aldo César Rosa da Silva, Universidade Federal de Alagoas

Programa de Pós-graduação em Recursos Hídricos e Saneamento

Antonio Pedro de Oliveira Netto, Universidade Federal de Alagoas / Campus do Sertão

Programa de Pós-graduação em Recursos Hídricos e Saneamento

Downloads

Publicado

2022-03-14

Edição

Seção

Artigos