START-UP DE UM REATOR ANAERÓBIO DE FLUXO ASCENDENTE COM MANTA DE LODO (UASB) TRATANDO EFLUENTE DE INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

Autores

  • Ana Claudia Guedes Silva Universidade do Oeste do Paraná – UNIOESTE.
  • Raphael Corrêa Medeiros UFSM
  • Gabriel de Menezes Trevisan Universidade Federal de Santa Maria – UFSM.

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v7e32018572-590

Palavras-chave:

Partida de reator UASB. Carga orgânica. Inóculo. Alcalinidade.

Resumo

 Este trabalho objetivou avaliar o start-up de um reator UASB (Upflow Anaerobic Sludge Blanket) de escala laboratorial. O reator foi operado com uma vazão de 500 mL.h-1 e um Tempo de Detenção Hidráulico (TDH) de 5,02 h, e Carga Orgânica Volumétrica (COV) de 95,66 Kg DQO/m³.d, por 66 dias. Para a partida, o inóculo utilizado foi proveniente da lagoa anaeróbia de um laticínio com pH~4,0, Sólidos Totais (ST) 12275,02 mg/L e relação Sólidos Suspensos Voláteis (SSV)/Sólidos Suspensos Totais (SST) de 0,71. A temperatura apresentou oscilações de 5 a 10ºC, durante o experimento. Quanto ao parâmetro de controle, Demanda Química de Oxigênio (DQO), observou-se grande variação tanto no afluente (média 16428,8 mg/L e desvio padrão 10951,24 mg/L) quanto no efluente (média 15342,0 mg/L e desvio padrão 9403,10 mg/L) com remoção média de, aproximadamente, 7% (1086,90 mg/L). Com relação à alcalinidade parcial, o efluente tratado apresentou maiores valores em relação ao afluente, um acréscimo de 49% em relação ao mesmo. Após 55 dias ocorreu estabilidade no pH e na alcalinidade parcial do efluente, respectivamente 7 e 970 mgCaCO3/L. Mesmo utilizando inóculo adaptado, a partida do reator não foi concluída, necessitando mais alguns dias de operação, contudo o reator suportou variações do COV, manteve nos últimos dias o pH efluente acima de 6 e uma remoção pequena de DQO, durante esse curto período em operação.

 

Biografia do Autor

Ana Claudia Guedes Silva, Universidade do Oeste do Paraná – UNIOESTE.

Engenheira Ambiental e Sanitarista; Doutoranda em Engenharia Agrícola – Universidade do Oeste do Paraná – UNIOESTE. E-mail: anaa_guedess@hotmail.com

Raphael Corrêa Medeiros, UFSM

Professor Dr. Adjunto da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. E-mail: medeiroscg@yahoo.com

Gabriel de Menezes Trevisan, Universidade Federal de Santa Maria – UFSM.

Engenheiro Ambiental e Sanitarista; Mestre em Engenharia Ambiental – Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. E-mail: gabryelmt@hotmail.com

Downloads

Publicado

2018-10-03

Edição

Seção

Artigos