DESAFIOS NA GESTÃO FINANCEIRA: ESTUDO DE CASO NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NA SERRA DE SÃO JOSÉ – MG

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e12020596-616

Palavras-chave:

Unidades de Conservação, Sustentabilidade financeira, Financiamento Ambiental, Estudo de Caso

Resumo

Este trabalho teve como objetivo a realização de estudo de caso na Área de Proteção Ambiental da Serra de São José e no Refúgio de Vida Silvestre das Libélulas da Serra de São José, em Minas Gerais, focado na gestão financeira. A criação de unidades de conservação é estratégia fundamental na conservação e proteção da biodiversidade e a gestão financeira pode ser considerada como ferramenta importante na manutenção e continuidade das mesmas. Diante do cenário de indisponibilidade de recursos por parte dos governos, as unidades devem criar alternativas financeiras, a fim de continuarem sua missão. No estudo de caso, observou-se que a gestão ocorre de maneira condizente com os objetivos de conservação. Acerca da gestão financeira, a insuficiência de recursos foi apontada como uma das principais dificuldades enfrentadas. As unidades em estudo não possuem parcerias com instituições financiadoras, as quais poderiam fornecer financiamento capaz de suprir as demandas.

Biografia do Autor

Camila Magri Bertolin

Possui graduação em Administração (2014) e Pós-Graduação Lato Sensu em Planejamento e Gestão de Áreas Naturais Protegidas (2018), ambos pelo Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais. Atualmente é funcionária pública efetiva, no cargo de Assistente Administrativo - Polícia Militar do Estado de Minas Gerais. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Gestão de Áreas Protegidas.

Downloads

Publicado

2020-04-20

Edição

Seção

Estudos de Caso