UTILIZAÇÃO DO AGREGADO RECICLADO BICA CORRIDA NO CULTIVO DE Coriandrum sativum

Autores

  • Francielly de Oliveira Pedralino IFMT
  • Rozilaine Aparecida Pelegrine Gomes de Faria IFMT
  • Carla Maria Abido Valentini IFMT

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v6e32017597-611

Palavras-chave:

Coentro, resíduo da construção civil, aproveitamento de resíduo.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da adição de diferentes percentuais do agregado reciclado bica corrida no ganho de biomassa de Coriandrum sativum. Foi selecionado um lote comercial de sementes da espécie da cultivar Português. O experimento foi realizado no período de 85 dias entre os meses de setembro e dezembro de 2014. As sementes foram distribuídas em substratos de terra preta (TP) e em diferentes percentuais de agregado reciclado bica corrida (AR), em caixas de plástico. Elas estavam à profundidade de1 cm, espaçadas entre si em1,5 cm e acondicionadas em viveiro coberto com sombrite a 50%. Foram cinco tratamentos (100 % TP; 75% TP: 25% AR; 50% TP: 50% AR; 25% TP: 75% AR; e 100% AR) com quatro repetições de 20 sementes cada. Foram consideradas como emergidas as sementes que formaram plântulas de pelo menos1 cm de altura. As variáveis observadas foram: porcentagem e tempo médio de emergência e altura, diâmetro basal e massa seca da parte aérea das plantas. Todos os substratos apresentaram textura arenosa, variando de argiloso arenoso a franco arenoso. Houve maior percentagem de emergência no substrato 3 (50% TP+ 50% AR), mas o rendimento da biomassa foi maior no substrato 2 (75% TP+25% AR).

Biografia do Autor

Francielly de Oliveira Pedralino, IFMT

Tecnóloga em Gestão Ambiental.

Rozilaine Aparecida Pelegrine Gomes de Faria, IFMT

 

Engenheira Sanitária pela Universidade Federal de Mato Grosso (1996), graduação em Química Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Ceará (2001) mestrado em Química Orgânica pela Universidade Federal do Ceará (2003) e doutorado em Agricultura Tropical pela Universidade Federal de Mato Grosso (2009) É professora e orientadora do Mestrado em Ciências e Tecnologia de Alimentos na linha de pesquisa Qualidade de Alimentos do IFMT-campus Cuiabá-Bela Vista..

 

Carla Maria Abido Valentini, IFMT

Graduada em Licenciatura em Ciências / Habilitação em Química pela Universidade Federal de Mato Grosso (1988), mestrado em Física e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Mato Grosso (2004) e doutorado em Agricultura Tropical pela Universidade Federal de Mato Grosso (2009). Professora Titular do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT), campus Cuiabá-Bela Vista nas áreas de Química e Ciências Ambientais.

Downloads

Publicado

2017-11-09

Edição

Seção

Artigos