GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: UM DIAGNÓSTICO DOS MUNICÍPIOS DO SERTÃO ALAGOANO

Autores

  • Liz Geise Santos Araújo Universidade Federal de Alagoas
  • Eduardo Lucena Cavalcante Amorim Universidade Federal de Alagoas
  • Carlos Roberto Moura Leal Júnior
  • Jayne Araújo Silva

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v8e12019483-516

Palavras-chave:

Resíduos sólidos urbanos, gestão de resíduos, CRERSSAL, municípios do sertão alagoano

Resumo

A grande geração de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) é influenciada, principalmente, por três fatores: crescimento populacional, elevação do consumo e aumento da industrialização. Dessa maneira, se faz necessária uma adequada gestão desses resíduos, seguindo princípios de redução, reutilização, reciclagem e adequada disposição final, de modo a proteger o meio ambiente e à saúde humana de possíveis impactos negativos gerados pelo incorreto manejo dos RSU. Com a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída pela Lei 12.305 de 2010, os municípios brasileiros devem apresentar mecanismos para uma adequada gestão de seus resíduos. Sob este panorama, o presente trabalho teve como objetivo diagnosticar a gestão para os RSU dos municípios inseridos no Consórcio Regional de Resíduos Sólidos do Sertão Alagoano (CRERSSAL). Com o apoio do CRERSSAL, o estudo teve como base os aspectos qualitativos e quantitativos acerca da atual situação dos municípios em relação ao manejo dos seus resíduos sólidos, de modo que foi possível verificar que há dificuldades, principalmente, pela falta informações, equipamentos, materiais e profissionais capacitados, somando-se aos baixos índices socioeconômicos da região. Além disso, problemas ambientais e sociais foram percebidos, especialmente, pela disposição inadequada encontrada em todos os municípios: o lixão.

Downloads

Publicado

2019-04-04

Edição

Seção

Artigos