QUANTIFICAÇÃO DE PERDA DE ARROZ NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO NO SUL DO BRASIL

Autores

  • Lázaro da Costa Corrêa Cañizares Universidade Federal de Pelotas
  • Newiton da Silva Timm Universidade Federal de Santa Maria
  • Carlos Caneppele Universidade Federal de Mato Grosso
  • Antonio Renan Berchol da Silva Universidade Federal de Mato Grosso
  • Moacir Cardoso Elias Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v10e42021384-400

Palavras-chave:

Logística, Precariedades das rodovias, Desperdício de alimento

Resumo

A perda de grãos no transporte rodoviário representa uma enorme falha na cadeia produtiva. O objetivo do estudo foi quantificar as perdas de grãos de arroz no transporte rodoviário no sul do Brasil. A amostragem foi realizada em duas rodovias utilizadas para o escoamento da produção desta commodity no Rio Grande do Sul, Brasil (a BR-471, entre os municípios de Rio Grande e Santa Vitoria do Palmar e a BR-116, entre os municípios de Pelotas e Jaguarão). A perda de grãos também foi quantificada de acordo com a diferença de peso de carga entre unidades armazenadoras. Além disso, foram aplicados questionários aos motoristas responsáveis pelo transporte, referente ao estado de conservação das rodovias e sobre perdas de grãos no transporte. Os valores de perdas variaram de 0,12% a 0,52% e essa diferença está relacionada com a metodologia utilizada para quantifica-las, o estado de conservação das rodovias e dos caminhões utilizados no transporte e a extensão das rodovias analisadas. Dentre os motoristas, 60% classificam as rodovias em estado ruim ou precário e 100% dos motoristas disseram nunca ter recebido treinamento referente a prevenção de perdas no transporte. As perdas devem ser evitadas, onde a manutenção periódica das rodovias, reciclagem da frota de caminhões utilizados, treinamento e conscientização dos motoristas são as principais alternativas para reduzi-las.

Biografia do Autor

Lázaro da Costa Corrêa Cañizares, Universidade Federal de Pelotas

Engenheiro Agrônomo (UFPEL), Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFPEL) e Doutorando em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFPEL)

Newiton da Silva Timm, Universidade Federal de Santa Maria

Engenheiro Agrícola (UFPEL), Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UFPEL) e Doutorando em Engenharia Agrícola (UFSM).

Carlos Caneppele, Universidade Federal de Mato Grosso

Engenheiro Agrônomo (UFMT), Mestre em Engenharia Agrícola (UFV), Doutor em Ciências Biológicas (UFPR) e Professor Adjunto da UFMT

Antonio Renan Berchol da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso

Engenheiro Agônomo (UNESP), Mestre em Agronomia (UNESP), Doutor em Agronomia (UNESP) e Professor Adjunto da UFMT

Moacir Cardoso Elias, Universidade Federal de Pelotas

Engenheiro Agrônomo (UFPEL), Mestre em Tecnologia de Alimentos (UNICAMP), Doutor em Agronomia (UFPEL) e Professor Titular da UFPEL

Downloads

Publicado

2021-12-14

Edição

Seção

Artigos