O medo como patrimônio cultural na construção narrativa de “A teta assustada”, de Claudia Llosa

Autores

  • Juliene da Silva Marques Universidade do Sul de Santa Catarina.

DOI:

https://doi.org/10.19177/memorare.v2e22015107-113

Palavras-chave:

Cultura imaterial, Identidade, Memória.

Resumo

Este ensaio terá como substrato a herança do medo como Patrimônio Cultural Imaterial suscitado através da memória e da identidade, elemento apresentado como tema principal no audiovisual peruano A teta assustada (Claudia Llosa, 2009). Perscrutar-se-á o papel imanente da cultura imaterial como delineadora das peripécias diegéticas, considerando a tradição como posição de identificação social da personagem analisada. A pesquisa abordará os elementos constitutivos do sujeito – identidade e memória – por meio de teorias que abordam a temática no campo dos estudos culturais. Para tanto, serão examinados alguns traços da obra como objeto de leitura dos tópicos citados. Desta forma, este estudo pretende analisar o medo como herança que repercute a narrativa a partir da protagonista Fausta, que representa a identificação social.

Biografia do Autor

Juliene da Silva Marques, Universidade do Sul de Santa Catarina.

Bolsista CAPES.

Downloads

Publicado

30-07-2015

Edição

Seção

Artigos