AS COMUNIDADES DE MARCA E SUAS RELAÇÕES COM ENGAJAMENTO, REATÂNCIA E INTENÇÕES: UM ESTUDO COM CLUBES DE CARROS ANTIGOS

Autores

  • Marcelo de Rezende Pinto Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Matheus Lemos de Andrade Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Georgiana Luna Batinga Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Ramon Silva Leite Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v13e32020168-189

Palavras-chave:

Comunidade de Marca, Engajamento, Reatância, Intenção, Clubes de Carros antigos.

Resumo

Este trabalho relata resultados de uma pesquisa cujo objetivo foi verificar em que medida diferentes aspectos do relacionamento com os consumidores com as comunidades de marca estão relacionados às intenções e aos comportamentos. A coleta de dados foi realizada com membros de clubes de carros antigos. Os dados foram analisados por meio da técnica de Modelagem de Equações Estruturais. Verificou-se que as pressões normativas da comunidade e a identificação da comunidade acabam influenciando positivamente o engajamento e a reatância. Ademais, esses dois últimos construtos também são mostrados como preditores de intenções de lealdade, para recomendar, continuar e participar da comunidade.

Biografia do Autor

Marcelo de Rezende Pinto, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Professor do Programa de Pós-graduação em Administração da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Matheus Lemos de Andrade, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Doutor em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Georgiana Luna Batinga, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Doutora em Administração pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Ramon Silva Leite, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Doutor em Administração pela Universidade Presbiteriana Mackenzie

Referências

ALGESHEIMER, R.; DHOLAKIA, U. M.; HERMANN, A. The social influence of brand community: Evidence from European car clubs. Journal of marketing, 69(3), p. 19-34, 2005.

ALMEIDA, S. O.; MAZZON, J. A.; DHOLAKIA, U.; MÜLLER NETO, H. The effects of participation in online brand communities: findings from XBOX communities in Brazil. Marketing Theory and Applications, 21, p. 293-303, 2010.

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BREHN, J. W. A Theory of psychological reactance. Morristown, NY: Academic Press, 1966.

CARLSON, B. D.; SUTER, T. A.; BROWN, T. J. Social versus psychological brand community: the role of psychological sense of brand community. Journal of Business Research, 61, p. 284-291, 2008.

CASALO, L.; FLAVIAN, C.; GUINALIU, M. The impact of participation in virtual brand communities on consumer trust and loyalty. Online Information Review, 31(6), p. 775-792, 2007.

COHEN, J. Statistical power analysis for the behavioral sciences. 2nd ed. New York: Psychology Press, 1988.

DEVASAGAYAM, P. R.; BUFF, C. L. A Multidimensional conceptualization of brand community: An empirical investigation. Sport Marketing Quartely, 17, p. 20-29, 2008.

DOWD, E. T.; MILNE, C. R.; WISE, S. L. The therapeutic reactance scale: A measure of psychological reactance. Journal of Counseling & Development, 69(6), p. 541-545, 1991.

FORNELL, C.; LARCKER, D. F. Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, 18(1), p. 39-50, 1981.

GUIMARÃES, G.; STRIDE, C.; O’REILLY, D. Brand Community, loyalty and promise in myfootballclub.co.uk. Sport, Business and Management: An international Journal, 6(2), p. 137-157, 2016.

HAIR Jr, J. F.; HULT, G. T. M.; RINGLE, C.; SARSTEDT, M. A primer on partial least squares structural equation modeling (PLS-SEM). Sage Publications, 2014.

JANG, H.; OLFMAN, L.; KO, L., KOH, J.; KIM, K. The influences of online brand community characteristics on community commitment and brand loyalty. International Journal of Electronic Commerce, 12(3), p. 57-80, 2008.

KAPFERER, J. N.; BASTIEN, V. The Specificity of luxury management: turning marketing upside down. Journal of Brand Management, 16(5/6), p. 311-322, 2009.

KELLER, K.; LEHMANN, D. R. Brand and branding: Research findings and future priorities. Marketing Science, 25(6), p. 740-759, 2006.

KELLER, K. Conceptualizing, measuring and managing Customer-based Brand Equity. Journal of Marketing, 57(1), p. 1-22, 1993.

LANE, J. Rethinking the Brand-Community Relationship: Wearing a biggie in Harlem. Journal of Consumer Culture, 0, p. 1-17, 2018.

MALHOTRA, N. K.; BIRKS, D. F. Marketing Research: An apllied approach. 3rd ed. Harlow, Prentice Hall, 2007.

MELLO, S. C.; LEÃO, A. L.; SOUZA NETO, A. F. Que valores estão na moda? Achados muito além do efêmero. Revista de Administração Mackenzie, 4(2), p. 117-134, 2003.

MUNIZ, A. M.; O’GUINN, T. C. Brand Community. Journal of Consumer Research, 27, p. 412-32, 2001.

NYSVEEN, H.; PEDERSEN, P. E.; THORBJØRNSEN, H. Intentions to use mobile services: Antecedents and cross-service comparisons. Journal of the academy of marketing science, 33(3), p. 330-346, 2005.

RINGLE, C. M.; SILVA, D.; BIDO, D. D. S. Modelagem de equações estruturais com utilização do SmartPLS. REMark, 13(2), 54, 2014.

Ringle, C. M.; Wende, S.; Becker, J. M. “SmartPLS 3.” Boenningstedt: SmartPLS GmbH, http://www.smartpls.com, 2015.

SCHOUTEN, J. W.; McALEXANDER, J. H. Subcultures of consumption: An ethnography of the new bikers. Journal of Consumer Research, 22, p. 43-61, 1995.

STREHLAU, V. I. Marca exportada é melhor do que uma apenas local? Um estudo exploratório com mulheres em São Paulo. InternexT - Revista Eletrônica de Negócios Internacionais da ESPM, 2(1), p. 97-119, 2007.

Publicado

2021-01-22

Edição

Seção

Artigos Científicos