PARTICIPAÇÃO COMUNITÁRIA COMO PRÁTICA DE INOVAÇÃO SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO NO CENTRO EDUCACIONAL MARISTA LÚCIA MAYVORNE

Autores

  • Nei Antônio Nunes UNISUL
  • Jacir Leonir Casagrande UNISUL
  • Márcia Maria Gil Ramos UNISUL
  • Andréia Aparecida Pandolfidos Santos UNISUL
  • Louise Corseuil UNISUL

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v10e22017154-180

Palavras-chave:

Comunidade, Inovação Social, Projeto Educacional-Social, Emancipação, Autonomia.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar as ações comunitárias articuladas ao projeto educacional-social do Centro Educacional Marista Lúcia Mayvorne. Trata-se de um estudo qualitativo, cujo meio de investigação é o estudo de caso. A pesquisa visou a analisar se a relação entre projeto e comunidade pode ser considerada uma prática de inovação social. Os resultados e as evidências encontradas indicam que há significativa aderência da prática comunitária desenvolvida no projeto com a inovação social, pois através da imbricação entre o projeto educacional e a ação comunitária criam-se condições para o fomento e consolidação de formas de emancipação individual e coletiva.

Biografia do Autor

Nei Antônio Nunes, UNISUL

DOUTOR EM SOCIOLOGIA POLÍTICA (UFSC), PÓS-DOUTORADO NO PROGRAMA INTERDISCIPLINAR EM CIÊNCIAS HUMANAS (UFSC). PROFESSOR NA UNISUL DESDE 1996. PROFESSOR TEMPO INTEGRAL NO PPGA/UNISUL.

Jacir Leonir Casagrande, UNISUL

DOUTOR EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. PROFESSOR TEMPO INTEGRAL UNISUL.

Márcia Maria Gil Ramos, UNISUL

MESTRANDA NO PPGA UNISUL

Andréia Aparecida Pandolfidos Santos, UNISUL

MESTRE EM ADMINISTRAÇÃO PELO PPGA-UNISUL.

Louise Corseuil, UNISUL

MESTRANDA NO PPGA UNISUL

Referências

AGAMBEN, G. A comunidade que vem. Trad. Antônio Guerreiro. Lisboa: Editorial Presença, 1993.

BAUMAN, Z. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BIGNETTI, L.P. As inovações sociais: uma incursão por ideias, tendências e focos de pesquisa. Ciências Sociais Unisinos, v. 47, n. 1. (2011).

CENTRO EDUCACIONAL MARISTA LUCIA DO LIVRAMENTO. Projeto Político Pedagógico, 2014.

CLOUTIER, J. Qu´est-ce que l´innovation sociale? Cahier de recherche du CRISES, n. ET0314, Montreal: UQAM, 2003.

ESPÓSITO, R. Communitas. Buenos Aires: Amorrortu, 2007.

TÖNNIES, F. Einführung in die Soziologie. F. Enke, 1965.

LÉVESQUE, B. Les entreprises d'économie sociale, plus porteuses d'innovations sociales que les autres? In: COLLOQUE DU CQRS AU CONGRES DE L’ACFAS, 2001, Montreal, Cahiers du CRISES, v. 0205, 2002.

BUBER, M. Sobre comunidade. Editora Perspectiva, 1987.

MARTINS, G.A.; THEÓPHILO, C.R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MULGAN, G. et al. Social Innovation. What it is, why it matters and how it can be accelerated. Oxford Said Business School - Skoll Centre for Social Entrepreneurship, 2007.

MURRAY, R. et al. The Open Book of Social Innovation. London, NESTA/The Young Foundation. 2010.

NANCY, J.L. La communauté désoeuvrée. Paris: Christian Bourgois Editeur, 1986.

NUNES, N. A. Agamben e o conceito de estado de exceção. Revista de direito. Florianópolis, n. 3, p. 201-207, jul./dez. 2007.

NISBET, R. A. The Quest for Community: A Study in the Ethics o forder and Freedom. 1953.

SCHUMPETER, J.A. Teoria do desenvolvimento econômico. Fundo de Cultura, 1961.

PARSONS, T. Politics and social structure. Free Press, 1969.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Editora Martin Claret. 1973.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Edição

Seção

Artigos Científicos