MEMÓRIA E A ARTE DO GROTESCO NA CULTURA TELEVISIVA: UMA ANÁLISE DA SÉRIE A FAMÍLIA ADDAMS

Autores

  • Darlete Cardoso
  • Laura Giordani Marques
  • Mario Abel Bressan Júnior

DOI:

https://doi.org/10.19177/rcc.v16e22021203-211

Palavras-chave:

Grotesco, Memória, A Família Addams, Comunicação televisiva

Resumo

O presente artigo tem como foco analisar a arte do grotesco e seus impactos e
relevância na constituição de memórias coletivas, por meio de A Família Addams, série
televisiva de 1964 inspirada nos cartuns de essência macabra de Charles Addams. Como
procedimento metodológico aplica-se a pesquisa qualitativa, do tipo descritiva, por meio da
técnica do estudo de caso, delimitado na série televisiva de 1964. Os resultados demonstram
que os personagens da série se encaixam na teoria do grotesco, formam memórias coletivas
e que o gênero faz sucesso por ter um efeito profundo nos indivíduos, com a televisão, ao
trazer a oportunidade aliar humor e terror e de ver o mundo com outros olhos.

Biografia do Autor

Darlete Cardoso

Jornalista. Mestre em Ciências da Linguagem. Professora na Universidade do Sul de Santa Catarina –
UNISUL.

Laura Giordani Marques

Publicitária.

Mario Abel Bressan Júnior

Publicitário. Doutor em Comunicação Social. Professor na Universidade do Sul de Santa Catarina –
UNISUL.

Downloads

Publicado

2022-03-16

Edição

Seção

Artigos