Os regimes de imagem no conto The Black Cat, de Edgar Allan Poe

Autores

  • Luciano De Souza Santos Upe
  • Geam Karlo-Gomes Upe/Uneb

DOI:

https://doi.org/10.19177/memorare.v8e2202156-70

Palavras-chave:

Imaginário. Medo. Morte. Edgar Allan Poe.

Resumo

A literatura pode expressar as múltiplas formas pelas quais o homem se relaciona com o mundo, pois é um terreno fértil para as investigações sobre como se manifesta o imaginário humano. Este texto objetiva desvendar os regimes de imagens responsáveis por construir o medo da morte e os artifícios que suscitam o mistério e o macabro na narrativa The black cat, de Edgar Allan Poe, publicada em 1843. Realizou-se pesquisa bibliográfica, com base em arcabouço teórico da Antropologia do Imaginário. Neste estudo, nota-se que no conto The black cat, o imaginário é constituído por um processo no qual convergem os Regimes Diurno e Noturno, responsáveis pela construção fantástica do medo e da morte em meio às angústias das personagens.

Os regimes de imagem no conto The Black Cat, de Edgar Allan Poe

Downloads

Publicado

30-11-2021