Linguajamentos e contra-hegemonias epistêmicas sobre linguagem em produções escritas indígenas

Autores

  • Elismênnia Aparecida Oliveira
  • Joana Plaza Pinto

Palavras-chave:

Linguagem, Colonialidade, Epistemologia, Escrita indígena

Resumo

Este artigo, resultado de uma pesquisa qualitativa documental, discute práticas epistêmicas sobre linguagem de autoras e autores indígenas residentes no Brasil. Com base em autoras e autores indígenas e não indígenas – decolonialistas e pós-estruturalistas – confrontamos suas concepções de linguagem, considerando a construção das sociedades indígenas como o outro/objeto, que está presente na produção hegemônica de saber sobre linguagem. Consideramos o processo de silenciamento a que as etnias indígenas foram sujeitadas, e também o processo de resistência e apropriação de práticas e conceitos dos não indígenas, assim como coexistência de conceitos como língua, escrita e identidade. Como conclusão, apontamos a necessidade de ampliar o olhar epistemológico para dar conta de práticas discursivas coexistentes às do não indígena.

Biografia do Autor

Elismênnia Aparecida Oliveira

UFG, Bolsista PIBIC, Graduanda de Ciências Sociais

Joana Plaza Pinto

UFG, Professora Adjunta, Doutora em Linguística.

Downloads

Publicado

2011-10-25

Edição

Seção

Artigos