Usos sociais da escrita: um estudo sobre práticas e eventos de letramento na vivência de professoras alfabetizadoras

Autores

  • Michelle Donizeth Euzébio
  • Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti

Palavras-chave:

Práticas de letramento, Eventos de letramento, Esfera familiar, Esfera do trabalho, Alfabetizadores

Resumo

Este artigo aborda o fenômeno do letramento. O estudo foi realizado durante dois meses com professores alfabetizadores. Trata-se de abordagem qualitativa de implicações etnográficas que visa responder às seguintes questões: Como se caracterizam os usos sociais da escrita no cotidiano desses professores? Que práticas e eventos de letramento é possível depreender/descreverem sua vida cotidiana e em seu trabalho? A base teórica é Street (1984, 1988, 2003), Barton (1994), Barton Hamilton e Ivanic (2000), Hamilton (2000) e outros autores dos Novos Estudos do Letramento. Os resultados indicam que os alfabetizadores mencionam eventos de letramento dominantes como parte de sua vida cotidiana – remetendo a concepções do modelo autônomo de letramento. Em seu trabalho, por outro lado, mencionam muitos eventos de letramento vernaculares, remetendo a concepções do modelo ideológico de letramento. Dissonâncias dessa ordem sugerem uma ação docente ancorada em modismos pedagógicos e não em construtos teoricamente consolidados nessa área.

Biografia do Autor

Michelle Donizeth Euzébio

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada da Universidade Federal de Santa Catarina e membro do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada – NELA/UFSC.

Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti

Professora do Programa de Pós-graduação em Linguística Aplicada da Universidade Federal de Santa Catarina e Vice-Coordenadora do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada – NELA/UFSC.

Downloads

Edição

Seção

Artigos de pesquisa