ESTRATÉGIAS DE CRESCIMENTO EM REDES INTERORGANIZACIONAIS: UM ESTUDO COM UMA REDE DE FARMÁCIAS

Autores

  • Alex Denjoy Prado Marques Universidade Federal de Sergipe
  • Ludmilla Meyer Montenegro Universidade Federal de Sergipe
  • Karen Batista Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v13e22020269-301

Palavras-chave:

Estratégias de Crescimento. Redes de Empresas. Redes Interorganizacionais. Setor Farmacêutico.

Resumo

Este estudo analisou as estratégias de crescimento adotadas pela Rede Sergifar, segundo a tipologia proposta por Groß (2003). Realizou-se um estudo de caso único descritivo, de natureza qualitativa, com coleta de dados por meio de entrevistas, e análise dos dados por meio da análise de conteúdo. Concluiu-se que as estratégias básicas em conjunto com a redução das barreiras de entrada à rede e a contratação de pessoal específico para desenvolvimento foram ações cruciais no crescimento e desenvolvimento da rede. As estratégias básicas trouxeram mais benefícios diretos para a rede, sendo a categoria mais importante dentre as analisadas.

Biografia do Autor

Alex Denjoy Prado Marques, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Federal de Sergipe

Ludmilla Meyer Montenegro, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Administração (UFPR)

Professora da Universidade Federal de Sergipe, Departamento de Administração, Campus São Cristóvão

Karen Batista, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Administração pelo Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Federal de Sergipe

Referências

AMATO NETO, J. Redes de cooperação produtiva e clusters regionais: oportunidades para as pequenas e médias empresas. São Paulo: Atlas, 2000.

ANTUNES, L. G. R. et al. As racionalidades instrumentais e substantiva presentes na formação e desistência de redes de cooperação interorganizacionais. In: COLÓQUIO DE REDES, ESTRATÉGIA E INOVAÇÃO, 8., 2017. São Paulo. Anais [...]. São Paulo, 2017.

BALESTRIN, A. A Dinâmica da complementaridade de conhecimentos no contexto das redes interorganizacionais. 2005. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BOMFIM, L.C.S.; TEIXEIRA, R.M. Empreendedorismo feminino: desafios enfrentados por empreendedoras na gestão de pequenos negócios no setor de turismo. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 9, n. 2, p. 48-69, 2015.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, M. A Sociedade em rede. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CHANDLER, A. D. Strategy and structure: chapters in the history of the industrial enterprise. [S. l.]: Beard Books, 1962.

CLARK, S. Dinâmicas e perspectivas do mercado farmacêutico e consumer health, Quintiles. In: IMS WORLD REVIEW CONFERENCE, 2017. Anais [...]. Quintiles IMS, 2017. Disponível em: http://sindusfarma.org.br/arquivos/sydney-clark-quintilesims_ago2017.pdf. Acesso em: 23 nov. 2018.

COAD, A. Firm growth: a survey. Paris: CNRS, 2007.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Dados 2018. Disponível em: http://www.cff.org.br/pagina.php?id=801&menu=801&titulo=Dados+2018. Acesso em: 04 abr. 2019.

CONSENTINO, C. G.; CARVALHO, R. P. de; GOULART, I. B. Formação e desenvolvimento de redes formais de micro e pequenas empresas: um estudo de caso de uma sociedade de propósito específico. Revista ESPACIOS, Venezuela, v. 38, n. 28, 2017.

COSTA, A. Contabilidade gerencial: um estudo sobre a contribuição do Balanced Scorecard. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade)- Universidade de São Paulo, 2001.

CRESWELL, J. W. Mapping the field of mixed methods research. Journal of Mixed Methods Research, v. 3, n. 2, p. 95-108, 2009.

CARVALHO, J. F. et al. A Cooperação Entre Redes de Pequenas Empresas: Antecedentes, Etapas e Resultados da Estratégia de Intercooperação. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, v. 7, n. 1, p. 35-70, 2018.

FERREIRA, A. A.; OLIVA, F. L. Formação de redes para o desenvolvimento tecnológico: uma experiência com empresas de base tecnológica. In: BOAVENTURA, J. M. G. (org.). Rede de negócios: tópicos em estratégia. São Paulo: SaintPaul, 2006.

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Varejo farmacêutico no Brasil [guia completo 2018]. 2008. Disponível em: https://fia.com.br/blog/varejo-farmaceutico/. Acesso em: 03 fev. 2019.

GEBRAN, M. E.; NASSIF, V. M. J. Como as mulheres aprendem e desenvolvem suas competências empreendedoras? um estudo exploratório. In: SEMINÁRIOS EM ADMINISTRAÇÃO, 16. 2012. Anais [...]. São Paulo: SemeAd: 2013.

GROβ, W. Strategische Entwicklungsrichtungen fur Verbundgruppen des Handels. Praxisdes Kooperations managements, Frankfurt: Deutscher Fachverlag, 2003.

GUIA DA FARMÁCIA. Grandes redes de farmácias e drogarias já representam mais da metade do segmento. São Paulo: Guia de Farmácia, [2016]. Disponível em: https://guiadafarmacia.com.br/grandes-redes-de-farmacias-e-drogarias-ja-representam-mais-da-metade-do-segmento/ Acesso em: 20 abr. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema de contas nacionais trimestrais. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9300-contas-nacionais-trimestrais.html?=&t=series-historicas&utm_source=landing&utm_medium=explica&utm_campaign=pib#evolucao-taxa. Acesso em: 14 de fev. 2019.

KAMAU, D. G.; MCLEAN, G. N; ARDISHVILI, A. Perceptions of business growth by women entrepreneurs. Frontiers of Entrepreneurship Research, Wellesley, MA: Centerfor Entrepreneurial Studies, Babson College, 1999.

KILDUFF, M.; TSAI, W. Social networks and organizations. United States: Sage, 2003.

MARCON, M.; MOINET, N. Lastratégie-réseau. Paris: Éditions Zéro Heure, 2000.

NETO, R. A. Per; CASTRO, M. A. F. de. Análise de aspectos sócio econômicos motivadores para a Implantação de lojas de varejo farmacêutico. 2018. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DA LARES, 6., 2017, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: LARES, 2018.

PENROSE, E. A teoria do crescimento da firma. Campinas, SP: Ed. da Unicamp, 2006.

PORTER, M. E. Competição: estratégias competitivas essenciais. United States: Gulf Professional Publishing, 1999.

ROCHA, E. Panorama do mercado farmacêutico no brasil: perspectivas e desafios. São Paulo: IMS Health, 2016.

SEBRAE (São Paulo). Panorama dos pequenos negócios 2018. São Paulo: SEBRAE, 2018. Disponível em: http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/SP/Pesquisas/Panorama_dos_Pequenos_Negocios_2018_AF.pdf. Acesso em: 01 maio 2019.

SELLTIZ, C.; WRIGHTSMAN, L. S.; COOK, S. W. Métodos de pesquisa das relações sociais. São Paulo: Herder, 1965.

SILVA, R. S. Relacionamentos interorganizacionas em rede de cooperação: um estudo no setor farmacêutico varejista do estado de São Paulo. 2013. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Municipal de São Caetano do Sul, 2013.

SOARES, W. B.; WEGNER, D.; DOLCI, P. C. Fusão como estratégia de crescimento de redes de cooperação empresarial: um estudo de caso em uma rede de farmácias. Iberoamerican Journal of Strategic Management, v. 15, n. 1, p. 83-96, 2016.

SUEN, A. S.; KIMURA, H. Fusão e aquisição como estratégia de entrada (entre mode) no mercado brasileiro. Caderno de pesquisas em administração, v. 2, n. 5, p. 53-60, 1997.

TODEVA, E. Business networks: strategy and structure. London: Toutledge, 2006.

TONIN, G. A. et al. Desenvolvimento e consolidação de redes interorganizacionais. 2016. Revista Observatorio de La Economía Latinoamericana, [S. l.], mayo 2016.

VOSS, C.; TSIKRIKTSIS, N.; FROHLICH, M. Case research in operations management. International Journal Of Operations & Production Management, Inglaterra, v. 22, n. 2, 2002.

WEGNER, D.; PADULA, A. Estratégias de crescimento e a governança de redes horizontais de empresas: o caso da maior rede cooperativa de varejo de alimentos na Alemanha. Revista de Ciências da Administração, v. 13, n. 30, p. 220-248, 2010.

WRIGHT, O.; FRAZER, L. A multiple case analysis of franchised cobranding. Australasian Marketing Journal, v. 15, n. 2, p. 133, 1998.

WRIGHT, P.; KROLL, M. J.; PARNELL, J. Administração Estratégica: conceitos. São Paulo: Atlas, 2000.

YIN, R. K, Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre, RS: Bookmann, 2010.

Downloads

Publicado

2020-11-25

Edição

Seção

Artigos Científicos