EFICÁCIA DAS NORMAS DE COMPLIANCE NO BRASIL A PARTIR DA PERSPECTIVA DO MODELO ADOTADO PELO COAF

Autores

  • Sidineia Maria DELAI Onzi Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
  • Luiz Felipe Ferreira Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
  • Fabiano Ramalho Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v12e32019130-152

Palavras-chave:

Compliance, Evasão de divisas, Lavagem de dinheiro, COAF, NOCLAR.

Resumo

Este trabalho objetiva identificar o resultado da aplicação de normas de compliance no Brasil, com destaque para o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Foi realizado um levantamento bibliográfico com análise de dados coletados do site do COAF. Assim, observou-se a quantidade de atos supostamente ilícitos denunciados e, dentre eles, quantos caracterizaram ilicitude ou crime. Nos resultados, constatou-se que o setor financeiro foi o que mais relatou suspeitas de atividades ilícitas. Verificou-se, com o presente estudo, um alto índice de eficácia no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro por meio do modelo adotado pelo COAF.

Biografia do Autor

Sidineia Maria DELAI Onzi, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Sidineia Maria Delai Onzi, Mestranda em Contabilidade pelo programa de pós graduação - PPGC/UFSC. Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pós-graduada em Perícias Contábeis pela UNICESPI.

Luiz Felipe Ferreira, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Luiz Felipe Ferreira, Doutor em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina, Professor Associado, Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Catarina.

Fabiano Ramalho, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Fabiano Ramalho, Mestrando em Direito pelo programa de pós graduação - PPGD/UFSC. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina e pós-graduado MBA em Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas.

Referências

AMORIM, E. C.; CARDOZO, M. A.; VICENTE, E. F. R. Os Impactos da implementação de controles internos, auditoria e compliance no combate e prevenção à lavagem de dinheiro no Brasil. Enfoque: Reflexão Contábil; Maringá, v. 31, Ed. 3, p. 23-35, sep./dec. 2012. DOI: 10.4025/enfoque. v31i3.15616.

AMORIM, E. N. C de; CARDOZO, M. A.; VICENTE, E. F. R. Os impactos da implementação de controles internos, compliance e auditoria não-combate e prevenção da lavagem de dinheiro no Brasil. Enfoque: Reflexão Contábil, Maringá, v. 31, n.3, p. 23-35, 2012.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Investimento estrangeiro direto. Brasília, DF: Banco Central do Brasil, 2018. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/rex/ied/port/notas/htms/notas.asp. Acesso em: 30 maio 2018.

BRASIL. Lei n° 12.846, de 01 de agosto de 2015. Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos [...] Brasília: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12846.htm. Acesso em: 15 jan. 2018.

BRASIL. Lei n° 13.202, de 8 de dezembro de 2015. Institui o Programa de Redução de Litígios Tributários – PRORELIT [...]. Brasília: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13202.htm. Acesso em: 30 jul. 2017.

BRASIL. Lei n° 9.613, de 03 de março de 1998. Dispõe sobre os crimes de "lavagem" ou ocultação de bens, direitos e valores [...]. Brasília: Presidência da República, 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9613.htm. Acesso em: 30 jul. 2017.

BRASIL. Lei nº 12.683, de 9 de julho de 2012. Altera a Lei nº 9.613, de 3 de março de 1998, para tornar mais eficiente a persecução penal dos crimes de lavagem de dinheiro. Brasília: Presidência da República, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12683.htm. Aceso em: 15 jan. 2018.

BRASIL. Medida Provisória n° 685, de 21 de julho de 2015. Brasília, DF: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/mpv/mpv685.htm. Acesso em: 30 jul. 2017.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Acordos para Evitar a Bi-Tributação. Brasília: Receita Federal, 2017. Disponível em: https://idg.receita.fazenda.gov.br/acesso-rapido/legislacao/acordos-internacionais/acordos-para-evitar-a-dupla-tributacao/acordos-para-evitar-a-dupla-tributacao. Acesso em: 04 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Fazenda. Conselho de Controle de Atividades Financeiras. Estatísticas Inteligência. Brasília: Coaf, 2015. Disponível em: https://coaf.fazenda.gov.br/menu/estatisticas/comunicacoes-recebidas-por-segmento. Acesso em: 15 jan. 2018.

COAF. Relatório de atividades dos anos de 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017. Disponíveis em: http://www.coaf.fazenda.gov.br/links-externos. Acesso em: 15 jan. 2018.

BREAUX, T. D.; ANTÓN, A. I.; SÁFFPRD, E. H. A Distributed Requirements Management Framework for Compliance and Accountability. Computers & Security, Oxford, v. 28, n.1-2, p. 8-17, 2009.

CHAVES, Carlos Bráulio da Silveira; VALE, Matheus Costa do. Cooperação Política Internacional para o Combate da Lavagem de Dinheiro no Mercado de Artes. Conexão Política, Teresina, v. 5, n. 2, 45-54, jul./dez. 2016. DOI: https://doi.org/10.26694/rcp.issn.2317-3254.v5e2.2016.p%25p.

CONSELHO FEDERAL CONTABILIDADE. Resolução CFC nº 1.445 de 2013. Brasília, DF: CFC, 2013. Disponível em: http://www2.cfc.org.br/sisweb/sre/detalhes_sre.aspx?Codigo=2013/001445. Acesso em: 30 ago. 2017.

CONSELHO FEDERAL CONTABILIDADE. Resolução CFC nº 1.530 de 2017. Brasília, DF: CFC, 2017. Disponível em: http://www2.cfc.org.br/sisweb/sre/detalhes_sre.aspx?Codigo=2017/001530&arquivo=Res_1530.doc. Acesso em: 30 out. 2017.

EUROPEAN COMMISSION. Taxation and Customs Union. Brussels: EC, Disponível em: https://ec.europa.eu/taxation_customs/fight-against-tax-fraud-tax-evasion/a-huge-problem_en. Acesso em: 30 maio 2018.

FONSECA, Fernando Daniel de Moura. O Brasil face ao Plano de Ação nº 12 do BEPS. In: GOMES, Marcus Lívio; SCHOUERI, Luiz Eduardo (org.). A Tributação Internacional na Era Pós-Beps: soluções globais e peculiaridades de países em desenvolvimento. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016. p. 39-56.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMES, H. O.; RAMOS, M. O.; SILVA, M. V. D.; SANTOS, L. M. V. A Contabilidade do Crime no Brasil: Avanços e Desafios. In: USP INTERNATIONAL CONFERENCE IN ACCOUNTING, 17. 2017, São Paulo. Anais […]. São Paulo: FEAUSP, 2017.

JUNG, L. W. Lavagem de dinheiro e a responsabilidade do contador. Revista Catarinense da Ciência Contábil, Florianópolis, v. 6, n.17, p.39-54, abr./jul. 2007.

LASMAR, J. M. A legislação brasileira de combate e prevenção do terrorismo quatorze anos após 11 de Setembro: limites, falhas e reflexões para o futuro. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 23, n. 53, p. 47-70, mar. 2015.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas. 3ª ed., São Paulo: Atlas, 2016.

MORO, S. F. Crime de lavagem de dinheiro. São Paulo: Saraiva, 2010.

NABAIS, J.C. A soberania fiscal no actual quadro de internacionalização, integração e globalização econômicas. Direito Público, Brasília, v.1, n. 6, 2004. Disponível em: https://www.portaldeperiodicos.idp.edu.br/direitopublico/article/view/1365/833. Acesso em: 28 dez. 2018.

OCDE. Addressing Base Erosion and Profit Shifting. Paris: OECD Publishing, 2013. E-book. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1787/9789264192744-en. Acesso em: 28maio 2018.

PERIM, Maria Clara Mendonça; LEMGRUBER, Letícia; POZZEBON, Gustavo Roberto Chaim. A utilização dos relatórios de inteligência financeira oriundos do COAF como meio de prova na persecução dos atos de improbidade administrativa de agentes públicos. In: CONGRESSO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, 22., 2017, Belo Horizonte. Anais [...]. Disponível em: https://congressonacional2017.ammp.org.br/public/arquivos/teses/31.pdf. Acesso em: 28 dez. 2018.

RIBEIRO, Ricardo Lodi. Ação 12 e a Introdução das Mandatory Disclouse Rules no Brasil. In: GOMES, Marcus Lívio; SCHOUERI, Luiz Eduardo (orgs.). A Tributação Internacional na Era Pós-Beps: Soluções globais e peculiaridades de países em desenvolvimento. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016. p. 57 -85.

SAMAHA, Stéphanie. Desafios à Implementação global das regras de mandatory disclosure. In: GOMES, Marcus Lívio; SCHOUERI, Luiz Eduardo (org.). A Tributação Internacional na Era Pós-Beps: soluções globais e peculiaridades de países em desenvolvimento. 1. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016. p. 87-106.

SANTOS, J. M. G. O desafio do combate à lavagem de dinheiro. Revista de Informação Legislativa, Brasília, n. 166, abr./jun., p. 204 a 231, 2005.

SCHUMPETER, J.A. Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e ciclo econômico. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

SILVA, J. K. C. da. Crime de lavagem de dinheiro: uma abordagem sobre a posição do contabilista. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Bacharel em Ciências Contábeis) - Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2016.

TAMBORLIN, F. A., e SANTANA, V. C. Sociedade de Risco e a Democratização da Gestão de Riscos. In: GUARAGNI, Fábio André; BUSATO, Paulo César (coords.); DAVID, Décio Franco (orgs.). Compliance e Direito Penal. São Paulo: Atlas, 2015. p.3-16.

TORRES, H.T. Pluritributação sobre a renda das empresas. 2. ed: São Paulo: RT, 2001.

VAZ, D. A. D; SALES, E. N. O crime de lavagem de dinheiro e as responsabilidades do contador. Revista Liceu On-line, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 29-44, jan./jun, 2015.

VIEIRA, V. L. R. A atuação do COAF na prevenção à lavagem de dinheiro à luz da Teoria da Regulação Responsiva. Revista de Direito Setorial e Regulatório, Brasília, v. 4, n. 1, p. 263-288, maio 2018.

Downloads

Publicado

2020-04-29

Edição

Seção

Artigos Científicos