CADA ESCOLHA UMA RENÚNCIA: É POSSÍVEL COMPETIR E SER SUSTENTÁVEL?

Autores

  • Aline Eggres de Castro Universidade Federal de Santa Maria http://orcid.org/0000-0002-7249-1414
  • Carolina Sampaio Marques Universidade Federal do Pampa
  • Tatiane Lopes Duarte Universidade Federal de Santa Maria
  • Marta Olivia Rovedder de Oliveira Universidade Federal de Santa Maria
  • Roberto Schoproni Bichueti

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v12e2201925-57

Palavras-chave:

Responsabilidade Socioambiental, Sustentabilidade Empresarial, Greenwashing, valor compartilhado, Análise de discurso.

Resumo

Esse estudo teve o objetivo de analisar três empresas que utilizam práticas de Responsabilidade Social Corporativa, a fim de verificar se elas aliam de forma apropriada a sustentabilidade e a competitividade, observando se as ações empresariais não seriam apenas práticas superficiais visando promover sua imagem institucional. As empresas analisadas foram: Lush Cosméticos, Kimberly Clark e Mercur. Os dados coletados foram interpretados pela técnica da análise de discurso. Os resultados indicaram que as empresas estão genuinamente preocupadas com questões de sustentabilidade, mas o principal impacto está envolvido com as matérias-primas utilizadas, pois são recursos que provêm da exploração de ecossistemas naturais.

Biografia do Autor

Aline Eggres de Castro, Universidade Federal de Santa Maria

É bacharel em Administração e Comunicação Social - Relações Públicas e Mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria. Atualmente cursa Doutorado em Administração pela mesma instituição. Atua principalmente nos seguintes temas: sustentabilidade, gestão pública, responsabilidade socioambiental, identidade e imagem organizacional, marketing, gestão estratégica, internacionalização de empresas e comunicação organizacional. Foi professora temporária do Departamento de Ciências Administrativas da UFSM, ministrando disciplinas nas áreas de Administração Geral, Administração de Marketing e Gestão de Pessoas. Atualmente é servidora técnico administrativa de nível superior da Universidade Federal de Santa Maria, no cargo de Administradora, alocada no Setor de Editais e Contratos do Departamento de Material e Patrimônio.

Carolina Sampaio Marques, Universidade Federal do Pampa

Mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (junho/2016), na linha de Estratégia nas Organizações e integra o grupo Estudos e Pesquisas em Estratégia, Inovação e Sustentabilidade (CNPq) e o Núcleo de Pesquisa e Estudos em Sustentabilidade (NPeS). Cursa o Doutorado em Administração (UFSM) e tem como interesses de pesquisa o estudo das relações entre sustentabilidade, organizações e educação. Possui graduação em Administração pela UFSM (março/2007) e especialização em Gestão Pública (2012). É Administradora na Universidade Federal do Pampa desde 2010 e atualmente exerce a função de Coordenadora Administrativa do Campus.

Tatiane Lopes Duarte, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Administração da Universidade Federal de Santa Maria. Mestra em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (2015). Possui graduação em Administração pelo Centro Universitário Franciscano (2011). Tutora da Especialização em Gestão Pública UAB/UFSM.. Atuou como Professora Substituta da Universidade Federal do Pampa (2015-2017). Participa do Grupo de Estudos e Pesquisas em Estratégia, Inovação e Sustentabilidade do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Federal de Santa Maria - PPGA/UFSM. Pesquisa nos temas que envolvem: Terceiro setor, gestão social, economia solidária, sustentabilidade, economia criativa, empreendedorismo social e gestão pública.

Marta Olivia Rovedder de Oliveira, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria (2003/04), graduação em Administração - hab. Comércio Exterior pela Faculdade Metodista de Santa Maria (2005), mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009) e doutorado em Administração (ênfase em Marketing) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Santa Maria. Atua, principalmente, nos seguintes temas: marketing estratégico, produtividade de marketing e marketing metrics (brand equity e customer equity), marketing internacional e internet.

Roberto Schoproni Bichueti

Roberto Bichueti é Professor Adjunto no Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, onde atua no Curso de Administração e no Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA-UFSM). Possui, formação em nível de Graduação (2010), Mestrado (2013) e Doutorado (2016) em Administração pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Desenvolve estudos com foco em Sustentabilidade, Desenvolvimento Urbano Sustentável e Ambientes de Inovação. É membro do Grupo Estudos e Pesquisas em Estratégia, Inovação e Sustentabilidade (CNPq).

Referências

ABIHPEC, Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. Guia Técnico Ambiental da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos. Disponível em: https://abihpec.org.br/publicacao/guia-tecnico-ambiental/. Acesso em: 26 nov. 2017.

ACHROL, R. S.; KOTLER, P. Frontiers of the marketing paradigm in the third millennium. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 40, n. 1, p. 35–52, 2012.

ALMEIDA, F. Os desafios da sustentabilidade: uma ruptura urgente. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

ALVES, A. P. F.; NASCIMENTO, L. F. M. Proatividade de práticas sustentáveis: uma análise das práticas da empresa Mercur S. A. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, v. 9, p. 25-42, ago. 2016. Ed. Especial.

ARGENTI, P. A. Comunicação empresarial: a construção de identidade, imagem e reputação. 4. Ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

ARONCZYK, M. Market(ing) Activism: Lush Cosmetics, Ethical Oil, and the Self-Mediation of Protest. JOMEC Journal, [s.l.], n. 4, jul. 2016.

BANERJEE, S. B. Embedding sustainability across the organization: a critical perspective. Academy of Management Learning & Education, v. 10, n. 4, p. 719–731, 2011.

BARBIERI, J. C. A gestão empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2004.

BATEMAN, T. S.; SNELL, S. A. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas, 1998.

BOCKEN, N. M. P.; SHORT, S. W.; RANA, P.; EVANS, S. A literature and practice review to develop sustainable business model archetypes. Journal of Cleaner Production, v. 65, p. 42-56, 2014.

BOFF, L. Sustentabilidade: o que é e o que não é. Petrópolis: Vozes, 2012.

CARROLL, A.; SHABANA, K. The business case for corporate social responsibility: A review of concepts, research and practice. International Journal of Management Reviews, v. 12, n. 1, p. 85-105, 2010. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1111/j.1468-2370.2009.00275.x. Acesso em: 22 nov. 2017.

DAHL, R. Green Washing: do you know what you’re buying? Environmental Health Perspective, v. 118, n. 6, p. 246–252, jun. 2010.

DELMAS, M. A.; BURBANO, V. C. The Drivers of Greenwashing. California Management Review, University Of California, Berkeley, v. 54, n. 1, p. 64-87, Fall 2011.

DIAS, R. Gestão Ambiental- Responsabilidade Social e Sustentabilidade. 3. ed. [S.l.]: Atlas, 2017.

DOMENICO, Daniela DI; MAZZIONI, Sady; DAL MAGRO, Cristian Bau; PERUZZO, Marineli; PERUZZO, Madrineli. Análise dos indicadores ambientais das empresas listadas no guia de sustentabilidade da revista exame. Ciências Sociais Aplicadas em Revista - UNIOESTE/MCR - v.15 - n. 28 - 1º sem.2015 - p 65 a 89 - ISSN 1679-348X

ELKINGTON, J. Towards the sustainable corporation: Win-win-win business strategies for sustainable development. California Management Review, v. 36, n. 2, p. 90-100, 1994.

FROIO, P. J.; SILVA, A. C. N.; INHESTA, A. V.; GARCIA, N. N. Análise do perfil das inovações sustentáveis do setor privado diante da responsabilidade no tripple bottom line. In: Encontro Nacional De Engenharia De Producão, 36, 2016, João Pessoa. Anais do XXXVI Encontro Nacional De Engenharia De Producão. João Pessoa: ABEPRO, 2016. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca /TN_STO_236_374_29512.pdf. Acesso em: 22 nov. 2017.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 3, p. 20-29, 1995.

GONÇALVES FILHO, C.; BRITO, H.; GÖSLING, M.; SOUKI, G. Q. Os Impactos da Responsabilidade Social Corporativa na Reputação da Empresa e nas Intenções Comportamentais das Comunidades: estudo empírico. Contextus, Revista Contemporânea de Economia e Gestão, Fortaleza, v. 7, p. 37-54, 2009.

GREGOLIN, M. R. V. A análise do discurso: conceitos e aplicações. Alfa, São Paulo, v. 39, p. 13-21, 1995.

INSTITUTO ETHOS. Indicadores Ethos para Negócios Sustentáveis e Responsáveis – Guia temático. São Paulo: Instituto Ethos, [2015]. Disponível em: https://www3.ethos.org.br/cedoc/indicadores-ethos-guia-tematico-integridade/. Acesso em: 25 nov. 2017.

KOTLER, P.; KELLER, K. L. Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2007.

KUNSCH, M. M. K. (org.). Comunicação organizacional: linguagem, gestão e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2009. v. 2.

LODHI, A. 5 Brands You Think Are Eco Friendly…But Really Aren’t. In: ELUXE MAGAZINE. [London, UK: 2013]. Disponível em: https://eluxemagazine.com/culture/articles/5-brands-you-think-are-eco-but-really-arent/. Acesso em: 27 Nov 2017.

LOPES, V. N.; PACAGNAN, M. N. Marketing verde e práticas socioambientais nas indústrias do Paraná. RA USP, R. Adm., São Paulo, v. 49, n. 1, p. 116-128, jan./fev./mar. 2014.

LUSH. Mais do que Marketing. In: LUSH website [London, UK: 2017]. Disponível em: https://br.lush.com/artigo/mais-do-que-marketing. Acesso em: 27 nov. 2017a.

LUSH. O legado da LUSH. In: LUSH website [London, UK: 2017]. Disponível em: <https://br.lush.com/artigo/o-legado-da-lush>. Acesso em 27 Nov 2017b.

LUSH. Políticas ambientais. In: LUSH website [London, UK: 2017]. Disponível em: <https://br.lush.com/artigo/politicas-ambientais>. Acesso em 27 Nov 2017c.

MACHADO, S. K.; DAMACENA, C. Percepção dos consumidores acerca do marketing relacionado a causas: uma revisão da literatura. BASE, Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v. 3, n. 2, p. 93-101, mai./ago. 2006.

MARAIS, M. CEO rhetorical strategies for corporate social responsibility (CSR). Society and Business Review, v. 7, n. 3, p. 223-243, 2012.

MARCONI, M. A; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 8. ed. [S.l.]: Atlas, 2017.

MELO NETO, F. P. Gestão de marcas nos esportes: as tendências no uso do marketing esportivo com ênfase em produtos e imagem institucional. 2003. 318 f. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento Humano) – Programa de Pós-Graduação em Ciência do Movimento Humano, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2003.

MERCUR. Sobre a Mercur. Santa Cruz do Sul: Mercur, 2017. Disponível em: http://www.mercur.com.br/. Acesso em: DIA nov. 2017.

NAISY, S. S; SILVA, l. M; VALVERDE, R. S; ALVES, R. R; SANTOS, L. F. Análise econométrica da demanda Brasileira de importação de borracha natural, de 1964 a 2005. Rev. Árvore [online]. v.32, n.6, p.1133-1142, 2008.

NEVES, J. L. Pesquisa Qualitativa – Características, Usos e Possibilidades. Caderno de Pesquisa em Administração, São Paulo, v. 1, n. 3, jul. 1996.

OCEAN LEGACY. Our strategy and solutions. Delta: Ocean Legacy Foundation, 2013-2020. Disponível em: https://oceanlegacy.ca/our-strategy/. Acesso em: 27 nov. 2017.

PINSKY, V.; KUGLIANSKAS, I. Inovação tecnológica para a sustentabilidade: aprendizados de sucessos e fracassos. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 90, mai./ago. 2017.

PINTO, M. J. Comunicação e discurso: introdução à análise de discursos. São Paulo: Hacker Editores, 1999.

PORTER, M. E.; Kramer, M. Creating shared value. Harvard Business Review, p. 1-17, jan./feb. 2011.

ROBINSON, J. Squaring the circle? Some thoughts on the idea of sustainable development. Ecological Economics, v. 48, n. 4, p. 369-384, abr. 2004.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Studio Nobel: Fundação do Desenvolvimento Administrativo, 1993.

SCHENINI, P. C. Gestão empresarial sustentável. In: ______. (coord.) Gestão empresarial sócio ambiental. [S.l.]: Universidade Federal de Santa Catarina: Florianópolis: Gráfica nova letra, 2005. p. 11-34.

SKAR, R. Kimberly-Clark e Greenpeace apresentam os resultados de acordo ambiental. Tissue online, [s.l.], 19 ago. 2014. Disponível em: http://tissueonline.com.br/kimberly-clark-e-greenpeace-apresentam-os-resultados-de-acordo-ambiental/. Acesso em: 22 nov. 2017.

SOUSA-FILHO, J. M.; BARBIERI, J. C. Estratégia socioambiental baseada em recursos e ambiguidade causal. RAE, São Paulo, v. 55, n. 6, p. 699-711, nov./dez. 2015.

VAZ, G. N. Marketing institucional: o mercado de ideias e imagens. São Paulo: Pioneira, 1995.

WWF BRASIL. Pegada Ecológica. [S.l.]: WWF, 2017. Disponível em https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/pegada_ecologica/. Acesso em: 27 nov. 2017.

Downloads

Publicado

2020-04-23

Edição

Seção

Artigos Científicos