ADAPTAÇÃO ESTRATÉGICA DE UM GRUPO EMPRESARIAL COM ORIGEM NA INDÚSTRIA DE FÓSFOROS DE SEGURANÇA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/reen.v8e3201560-91

Palavras-chave:

estratégia, adaptação estratégica, voluntarismo, determinismo

Resumo

A questão do determinismo ambiental e do voluntarismo tem gerado ampla discussão na área da estratégia. Este trabalho analisa o processo de adaptação estratégica de um grupo empresarial com origem na indústria de fósforos de segurança, através de um estudo de caso longitudinal. A coleta de dados foi realizada por meio de análise documental e entrevistas, além de análise através da abordagem contextualista e processualista proposta porPettigrew (1987), e do modelo proposto por Hrebiniak e Joyce (1985). Os resultados demonstram que o voluntarismo predominou no processo de adaptação da empresa, em alguns momentos acompanhado de elevado determinismo ambiental.

Biografia do Autor

Gustavo Cristiano Sampaio, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Mestrando em desenvolvimento regional.

Referências

AUGUSTO, P. M., MACHADO-DA-SILVA, C. L. Aquisição de empresas e mudança organizacional: estudo comparativo de casos. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Organizações), 1999.

BATAGLIA, W.; FRANKLIN, M. A.; CALDEIRA, A.; SILVA, A. A. da. Implicações das teorias ambientais para a administração estratégica. Revista Gestão.org. v. 7, n. 3, p. 314 - 330, 2009.

CARVALHO, C. E.; ROSSETTO, C. R.; VIANNA, S. L. G. Determinismo e voluntarismo na adaptação estratégica: o caso de uma empresa de varejo. Revista Base. v. 8, n. 4, p. 286 - 299, 2011. doi: 10.4013/base.2011.84.02.

CHILD, J. Strategic choice in the analysis of action, structure, organizations and environment: retrospecto and prospect. Organization Studies, v. 18, n. 1, p. 43-76, 1972.

DONALDSON, L. Teoria da contingência estrutural. In: Clegg et al. (org.) Handbook de estudos organizacionais, v.1, p.105-136. São Paulo, SP: Atlas, 1999.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópio da indústria brasileira. São Paulo, Atlas, 2000.

GAVETTI, G.; LEVINTHAL, D.A.; RIVKIN, J.W. Response to Farjoun’s ‘Strategic making, novelty, and analogical reasoning – commentary on Gavetti, Levinthal, and Rivkin (2005). Strategic Management Journal, 29:1017-1021, 2008. http://dx.doi.org/10.1002/smj.691.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2014.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de empresas. V. 35, n. 3, p. 20 – 29, 1995.

GONÇALVES, S. A.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Mudança organizacional: institucionalização e cognição na análise do caso da Companhia Paranaense de Energia. Foz do Iguaçu, Anais do 23º ENANPAD (Área Temática – Organizações), 1999.

HENDERSON, B. D. As origens da estratégica. In: MONTGOMERY, C. A; PORTER M. E. (org.). Estratégica: a busca da vantagem competitiva Rio de Janeiro, RJ: Campus, 1998.

HREBINIAK, L. G.; JOYCE, W. F. Organizational adaptation: strategic choice and environmental determinismo. Administrative Science Quarterly, v. 30, p. 336-349, 1985.

LACOMBE, F. J. M. HEIBORN, G. L. J. Administração, princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, 2003.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. da. Competitividade organizacional: conciliando padrões concorrenciais e padrões institucionais. In VIEIRA,Marcelo Milano Falcão, OLIVEIRA, Lúcia Maria Barbosa de. Administração Contemporânea: perspectivas estratégicas. São Paulo, Atlas, 1999.

MACHADO-DA-SILVA, C., FONSECA, V. S. da, FERNANDES, B. H. Rocha Um modelo e quatro ilustrações: em análise a mudança nas organizações. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Organizações), 1999.

MARION FILHO, P. J.; DALLA CORTE, V. F. As estratégias das indústrias de farinha de trigo e de massas alimentícias do Rio Grande do Sul. Revista Eletrônica de Estratégia e Negócios, Florianópolis, v. 3, n. 2, jul./dez. 2010.

MENDONÇA, J. R. C. de; VIEIRA, M. M. F. Fundamentos para análise do downsizing como estratégia de mudança organizacional. Porto Alegre, Revista Eletrônica de Administração, Edição 9, v. 5, n. 5, ISSN 1413-2311, abril 1999.

MILKOVICH, G. T.; BOUDREAU, J. W. Administração de Recursos Humanos. Tradução Reynaldo C. Marcondes. São Paulo, Atlas, 2000.

MÜLLER, L. B., VIEIRA, M. M. F. Rotinas Organizacionais Defensivas: um estudo sobre as formas de manifestação durante um processo de mudança organizacional. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Recursos Humanos), 1999.

PETTIGREW, A.M. Context and action in the transformation of the firm. Journal of Management Studies, v. 24, n. 6, p. :649-670. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-6486.1987.tb00467.x, 1987.

ROBBINS, S. Comportamento Organizacional. 8ª edição, Rio de Janeiro, LTC, 1999.

ROND, M.D.; THIETART, R.A. Choice, chance, and inevitability in strategy. Strategic Management Journal, 28, p. 535-551. 2007. http://dx.doi.org/10.1002/smj.602.

SMINIA, H.; ROND, M. Context and Action in the Transformation of Strategy Scholarshipjoms. Journal of Management Studies. v. 49, n. 7, 2012. doi: 10.1111/j.1467-6486.2012.01059.x.

TODARO, M. E. C; OLIVEIRA, K. K.; A concepção de estratégias em empresas empreendedoras: um estudo de caso na MEMPS Ltda. Revista Eletrônica de Estratégia e Negócios, Florianópolis, v. 1, n. 1, jan./jun. 2008.

TOLFO, S.; PICCINI, V.; GUIMARÃES, V. Trabalho, inovação e participação: um estudo multicase em empresas do setor metal-mecânico do Rio Grande do Sul. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Administração de Ciência e Tecnologia), 1999.

WAGNER III, J. A.; HOLLENBECK, J. R. Comportamento Organizacional; tradução Cid Knipel Moreira; revisão técnica Laura Zaccarelli. São Paulo, Saraiva, 1999.

Downloads

Publicado

2016-03-27

Edição

Seção

Artigos Científicos