Os mortos do século XX: o passado em fragmentos e pequenas histórias

Autores

  • Dilma Beatriz Rocha Juliano Universidade do Sul de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.19177/rcc.v6e12011175-182

Palavras-chave:

Filme-ensaio, História cultural, Marcelo Masagão, Walter Benjamin

Resumo

Comprometido com o sentido político das narrativas sobre a história, este artigo aproxima Marcelo Masagão a Walter Benjamin, desejando uma leitura interpretativa do ‘filme-ensaio’ Nós que aqui estamos por vós esperamos (1998). Longe de pretender legendar a narrativa imagética de Masagão com os conceitos de Benjamin, a reflexão aqui proposta reafirma a tarefa de revirar os escombros do passado para pensar o presente. Considerando uma das obras cinematográficas brasileiras mais instigantes para pensar o papel político dos espectadores como cidadãos, discute-se o ‘filme-ensaio’ na perspectiva da experiência artística como forma de conhecimento.

Biografia do Autor

Dilma Beatriz Rocha Juliano, Universidade do Sul de Santa Catarina

Doutora em Teoria Literária. Professora da Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL

Downloads

Publicado

2011-06-10

Edição

Seção

Ensaios