IMPACTO DO DESMATAMENTO SOBRE A INCIDÊNCIA DA DOENÇA DE CHAGAS NA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Autores

  • Sandra Núbia de Souza Assis Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
  • Renato Abreu Lima INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, AGRICULTURA E AMBIENTE (IEAA), UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS (UFAM).
  • Milton César Costa Campos Universidade Federal da Paraíba

Palavras-chave:

Desmatamento, Tripanossomíase Americana, Mudanças Ambientais, Saúde Pública, Amazônia.

Resumo

Os efeitos do desmatamento sobre a ótica da saúde humana podem servir como base no gerenciamento de estratégias de monitoramento do ambiente e da saúde pública na Amazônia Brasileira. Levando em consideração os impactos provenientes do desmatamento e a relação da incidência de doenças negligenciadas na Amazônia se fez necessário à investigação neste estudo. Diante disso, este trabalho trata-se de uma revisão bibliográfica sistemática que teve como objetivo buscar artigos, livros e dissertações que descrevessem estudos voltados à relação da doença de Chagas referente aos impactos gerados pelo desmatamento na Amazônia Brasileira. Os 10 trabalhos encontrados apresentaram relação do desmatamento com a doença de Chagas, mediante, os casos notificados e confirmados na região Norte do país. Portanto, há necessidade da efetividade e prevenção da DC, e melhor gerenciamento de monitoramento sobre variáveis ambientais, socioeconômicas, sociais e geográficas que permitam acompanhar de perto os impactos do desmatamento sobre a saúde humana.

Biografia do Autor

Sandra Núbia de Souza Assis, Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Discente do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais - UFAM.

Renato Abreu Lima, INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, AGRICULTURA E AMBIENTE (IEAA), UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS (UFAM).

Biólogo, com registro profissional nº 73096/06 D, possui graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura e Bacharelado) pelo Centro Universitário São Lucas (2009); Especialista em Gestão Ambiental pela mesma instituição (2011); Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Rondônia - UNIR (2011) e Doutor em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2016). Atuou como estagiário e bolsista CNPq na área de Química de Produtos Naturais e de Biotecnologia Vegetal trabalhando com espécies vegetais de potencial econômico e medicinal (2006-2011) na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA RONDÔNIA). Atualmente, é docente da UFAM onde desenvolve pesquisas nas áreas de ensino de Biologia Geral e de Bioprospecção da Biodiversidade Amazônica.

Milton César Costa Campos, Universidade Federal da Paraíba

Professor Associado do Departamento de Solos e Engenharia Rural do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (DSER/CCA/UFPB), responsável pela disciplina Fertilidade e Conservação do Solo. É professor do Programa de Pós-graduação em Ciências do Solo (PPGCS/DSER/CCA/UFPB) e Ciências Ambientais (PPGCA/UFAM) e participa da orientação de estudantes graduação e pós-graduação.

Downloads

Publicado

2022-06-01

Edição

Seção

Artigos