AVALIAÇÃO DA GESTÃO DE PESQUISA EM ÁREAS PROTEGIDAS – UM ESTUDO DE CASO NOS PARQUES ESTADUAIS DE SÃO PAULO

Autores

  • Gabriela Francisco Pegler Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos, Departamento de Hidráulica e Saneamento
  • Adriana Maria Zalla Catojo Universidade Federal de São Carlos, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Ciências Ambientais
  • Aline Ribeiro Machado Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, Centro de Tecnologia de Recursos Florestais

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v10e4202196-122

Palavras-chave:

Áreas protegidas, Pesquisas científicas, Tomadas de decisão

Resumo

As áreas protegidas têm representado a estratégia central para conservação da biodiversidade, de acordo com os objetivos da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB). As metas de Aichi para a Conservação da Biodiversidade exigem, também, que sejam efetivamente gerenciadas. Apesar das pesquisas científicas mostrarem-se de extrema importância às áreas protegidas por serem capazes de auxiliar ações de manejo e tomadas de decisão, a lacuna entre pesquisa e prática continua a limitar o sucesso da conservação. Desenhamos uma proposta
metodológica, com base na adaptação do método de Cifuentes, Izurieta e Faria (2000), para auxiliar os gerentes das áreas protegidas na identificação de pontos deficientes na gestão de pesquisa. Testamos a proposta nos Parques Estaduais de São Paulo e discutimos suas implicações. Concluímos, com base no estudo de caso, que a proposta se mostra eficiente também na compreensão de como as pesquisas se desdobram em contribuições e direcionamentos ao gerenciamento das áreas
protegidas e flexível na medida em que possibilita a avaliação de diferentes estruturas de gestão de pesquisa.

Biografia do Autor

Gabriela Francisco Pegler, Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos, Departamento de Hidráulica e Saneamento

Bacharel em Ciências Biológicas, Mestra em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Doutoranda em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo (PPGSEA/EESC/USP) na linha de pesquisa Instrumentos em Política Ambiental. Tem experiência com pesquisa na área de Gestão de Áreas Naturais Protegidas, atuando principalmente nos temas: Unidades de Conservação (UC); efetividade de gestão; gestão de pesquisa e impacto do uso público.

Adriana Maria Zalla Catojo, Universidade Federal de São Carlos, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Ciências Ambientais

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos, Mestrado e Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos. Atualmente é professora associada II na Universidade Federal de São Carlos campus São Carlos. Tem experiência nas áreas de Gestão Ambiental e Ecologia, com ênfase em Conservação de Biodiversidade, atuando principalmente nos seguintes temas: Unidades de Conservação; Áreas Naturais Protegidas (Áreas de Preservação Permanente e Reservas Legais Averbadas); Caracterização e Planejamento Ambiental; Planejamento e Conservação dos Recursos Naturais; Conservação da Biodiversidade; Geotecnologias (Sistemas de Informações Geográficas e Sensoriamento Remoto). Membro integrante dos Grupos de Pesquisa Sustenta - Sustentabilidade e Gestão Ambiental e GEOSUS - Geotecnologias, meio ambiente e sustentabilidade (UFSCar) junto ao CNPq. Na UFSCar, campus São Carlos, integra o Laboratório de Geotecnologias e Conservação Ambiental. Atua como consultora ah hoc da Fundação O Boticário para a Conservação da Natureza.

Aline Ribeiro Machado, Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, Centro de Tecnologia de Recursos Florestais

Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2009), mestrado em ciências, com ênfase em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (2012) e doutorado em ciências, com ênfase em recursos hídricos pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (2017). Atualmente é pesquisadora no Centro de Tecnologia de Recursos Florestais do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT). Tem experiência na área de Planejamento e Gestão de ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: Modelagem Hidrológica aplicada à Hidrologia Florestal e Geoprocessamento. Participa atualmente do Comitê Estratégico do IPT.

Downloads

Publicado

2021-12-14

Edição

Seção

Artigos