INOVAÇÃO EM SERVIÇOS PARA MOBILIDADE ATIVA E PROMOÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL

Autores

  • Silvia Stuchi Universidade de São Paulo.
  • Sonia Paulino Universidade de São Paulo.

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v9e02020626-650

Palavras-chave:

Mobilidade urbana sustentável. Inovação. Serviços públicos. Mobilidade ativa.

Resumo

Os serviços baseados na integração da mobilidade ativa e do transporte público dependem das condições do ambiente ofertadas para pedestres e ciclistas, que podem ser melhor entendidas a partir da abordagem da inovação em serviços públicos. Deste modo, o artigo tem o objetivo de analisar iniciativas de mobilidade ativa na cidade de São Paulo, considerando experiências de urbanismo tático que buscam distribuir o espaço de forma equitativa, melhorar as condições de mobilidade ativa e, por possivelmente tornar o local mais atrativo para pedestres, ciclistas e para o acesso ao transporte público coletivo, melhorar a qualidade ambiental. Para tanto, foi aplicado o modelo da inovação em serviços baseado em características. Como resultados, verifica-se que a inovação nos serviços prestados pela prefeitura ocorreu no tratamento da infraestrutura viária para pedestres e, em alguns casos, para ciclistas, contemplando ciclovias e também estações de bicicletas compartilhadas localizadas próximo ao transporte público, instalação de paraciclos e estacionamento seguro para as bicicletas no entorno. A mudança nas características do serviço está baseada na aquisição de novas competências e técnicas do prestador do serviço. As iniciativas contribuíram para o desenvolvimento de competências no setor público para utilização de novas metodologias que trazem uma visão sistêmica sobre os usos e dinâmicas locais e aspectos comportamentais dos usuários. Os interesses dos usuários são contemplados a partir de associações da sociedade civil que atuam em mobilidade ativa e destacam-se as competências relacionais e organizacionais, a partir da gestão do relacionamento multiagentes. Nesse sentido, ao analisar as experiências estudadas, verifica-se a necessidade de promover o envolvimento da comunidade para aumentar as chances de aprovação das intervenções pela população. E o caráter experimental do urbanismo tático propicia que as soluções sejam testadas e, se necessário, ajustadas antes de fazê-las de modo permanente. Conclui-se que houve o aprofundamento da capacidade técnica e operacional para implantação das intervenções, no entanto, há ainda grandes potencialidades para a continuação da introdução de inovações para aprimoramento e ganho de escala dos serviços públicos para transporte não motorizado, em consonância com a melhoria da qualidade ambiental do município.

 

Biografia do Autor

Silvia Stuchi, Universidade de São Paulo.

Pós-Doutoranda. Escola de Artes, Ciências e Humanidades – Universidade de São Paulo. silviastuchi@usp.br

Sonia Paulino, Universidade de São Paulo.

Professora associada. Universidade do Autor Escola de Artes, Ciências e Humanidades – Universidade de São Paulo. sonia.paulino@usp.br

Downloads

Publicado

2020-02-21