AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DE BACTÉRIAS LIPOLÍTICAS E LIPASE SUÍNA NO PRÉ-TRATAMENTO DE EFLUENTE DE CURTUME

Autores

  • Vívian de Oliveira Lima Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Câmpus Matão. http://orcid.org/0000-0002-5608-1634
  • Kátia Valeria Marques Cardoso Prates Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Londrina
  • Ajadir Fazolo Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Londrina

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v8e42019131-151

Palavras-chave:

Lipase, óleos e gorduras, pré-tratamento, bactéria lipolítica

Resumo

Diversas indústrias, dentre elas o Curtume, geram efluentes com elevado teor de óleos e gorduras (O&G). Tais compostos podem prejudicar o desempenho dos sistemas biológicos de tratamento. Por esse motivo, a remoção preliminar de O&G é recomendada, sendo a hidrólise enzimática de lipídios uma opção promissora no pré-tratamento de águas residuárias como alternativa ao uso de métodos físico-químicos. Este trabalho comparou a eficiência de bactérias lipolíticas isoladas em caixa de gordura com a lipase de pâncreas de porco e o produto comercial Enzilimp® no pré-tratamento do efluente de curtume em escala laboratorial. Realizaram-se dois ensaios preliminares para avaliar a influência da concentração dos inóculos, da diluição do efluente e da aeração. Posteriormente fez-se um estudo de otimização utilizando o Delineamento do Composto Central Rotacional, avaliando a influência da temperatura, da concentração do inóculo, da concentração do efluente e do pH. Concluiu-se que o efluente da graxaria do curtume é fonte potencial de bactérias lipolíticas e que tais cepas isoladas apresentam resultados de degradação de grodura semelhantes ao Enzilimp®. A atividade dos microrganismos é influenciada principalmente pela temperatura e pH, promovendo reduções de DQO e de O&G na ordem de 3,6 gO2.L-1 e 2,6 g.L-1, respectivamente, em temperaturas próximas a 32°C e em uma faixa de pH de 8,0 a 8,5. Já a eficiência da lipase se mostrou diretamente relacionada à concentração do inóculo e do efluente no sistema, com reduções máximas de 7,8 gO2.L-1 e 2,5 g.L-1 de DQO e O&G. Apesar dos melhores resultados, a lipase provoca aumento inicial da DQO e elevada acidificação do sistema. Além disso, os ensaios com esse inóculo tiveram baixa adequação ao modelo obtido pelas análises do DCCR. Assim é necessário avaliar os sistemas de pós-tratamento para escolher o melhor método de pré-tratamento aqui mencionados.

Biografia do Autor

Vívian de Oliveira Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Câmpus Matão.

Licenciada e bacharel em Ciências Biológicas, mestre em Engenharia Ambienta, doutoranda no programa de Microbiologia Agropecuária. Atualmente atua como Professora de Educação Básica, Técnica e Tecnológica (EBBT) no Instituto Federal de São Paulo (IFSP Câmpus Matão).

Kátia Valeria Marques Cardoso Prates, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Londrina

Graduada em Ciências Biológicas, Doutora em Ciências da Engenharia Ambiental. Docente na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina.

Ajadir Fazolo, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, campus Londrina

Graduado em Engenharia Sanitária, Doutor em Engenharia Hidráulica e Saneamento. Docente na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina.

Downloads

Publicado

2020-01-06

Edição

Seção

Artigos