ANÁLISE DOS DETERMINANTES DO CONSUMO DE ÁGUA NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS, 2010 A 2015.

Autores

  • Felipe Ponciano da Cruz Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
  • Bruno Ferreira de Oliveira Universidade Cândido Mendes - UCAM

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v8e4201957-79

Palavras-chave:

Demanda de água, Elasticidade Preço, Elasticidade Renda.

Resumo

O trabalho estimou a demanda municipal por água utilizando a base de dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) entre 2010 e 2015, juntamente com o Produto Interno Bruto (PIB) per capita proveniente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no total foram utilizadas 28.431 observações, em um painel não balanceado com efeitos fixos, abrangendo no total 5.105 municípios. O valor estimado para a elasticidade preço, (-0,166), indica que a demanda é inelástica em relação ao preço. A elasticidade renda, (0,04), indica que um aumento de 1% no PIB per capita provoca o aumento de apenas 0,04% no consumo per capita de água. Já com relação às características das prestadoras, os municípios atendidos por prestadoras locais consomem, em média, 30,1% a mais de água do que os atendidos por prestadoras regionais. No que diz respeito à gestão, os municípios atendidos por prestadoras privadas consomem, em média, 10,3% menos água do que os atendidos por prestadoras públicas. Em relação às características operacionais selecionadas, os sinais encontrados estão de acordo com o esperado, mas os coeficientes apresentam valores baixos, indicando pouca relevância no consumo municipal de água.

Downloads

Publicado

2020-01-06

Edição

Seção

Artigos