O PATRIMÔNIO GEOLÓGICO ENQUANTO PAISAGEM DE APROXIMAÇÕES, DISTANCIAMENTOS E REAPROXIMAÇÕES ENTRE O TEMPO DA TERRA

Autores

  • Vagner Luciano de Andrade UNIBH
  • Ludimila de Miranda Rodrigues Silva UNIBH
  • Antônio de Paiva Moura UNIBH

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v6e32017443-464

Palavras-chave:

patrimônio geológico, tempo ecológico da terra e do homem, geoturismo e ensino de geografia e história.

Resumo

O presente trabalho realizado exclusivamente para o II Seminário de Turismo e Sustentabilidade da Universidade do Sul de Santa Catarina, em setembro de 2017 procura descrever o patrimônio geológico enquanto paisagem de aproximações, distanciamentos e reaproximações. A paisagem geológica é o legado de informações históricas e ecológicas entre o tempo da terra e o tempo do homem. Neste contexto, o turismo geológico, ou geoturismo tem o cunho pedagógico de didatizar informações e patrimônios geomorfológicos disponíveis em diferentes paisagens pelo planeta Terra. Entende-se assim que o ensino de ecologia, geografia, e história podem contribuir efetivamente para o entendimento da história do planeta contribuindo efetivamente para a preservação dos territórios, paisagens e patrimônios que devido à sua geológica tem se degradado amplamente no âmbito das relações capitalistas de mercado. Por último, com base nos impactos humanos sobre a crosta terrestre debate o conceito de antropoceno, que futuramente será uma idade geológica dedicada exclusivamente à história dos agrupamentos humanos e de seus múltiplos impactos sobre a Terra.  

Biografia do Autor

Vagner Luciano de Andrade, UNIBH

Mobilizador da Rede Ação Ambiental com formação em Geografia, especializações em Ecologia, Educação e Patrimônio, e mestrado em Turismo.

Ludimila de Miranda Rodrigues Silva, UNIBH

Geógrafa, Mestre e Doutoranda em Geografia – Organização do Espaço pelo Instituto de Geociências/Universidade Federal de Minas Gerais. Pesquisadora do Grupo de Pesquisas Terra & Sociedade - Núcleo de Estudos em Geografia Agrária, Agricultura Familiar e Cultura Camponesa.

Antônio de Paiva Moura, UNIBH

Escritor, historiador/historiógrafo, especialista em História da Cultura e mestre em História professor aposentado do UNIBH.

 

Downloads

Publicado

2017-11-09

Edição

Seção

Artigos