EFLUENTES HOSPITALARES: AVALIAÇÃO DA FORMA DE DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES HOSPITALARES EM QUATRO MUNICÍPIOS DA REGIÃO DO VALE DOS SINOS, NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL.

Autores

  • Rosa Grasiela Arend Unisul
  • Jairo Afonso Henkes Unisul

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v2e22013263-308

Palavras-chave:

agentes contaminantes, tratamento, sustentabilidade ambiental efluentes, hospitalares.

Resumo

Efluentes hospitalares caracterizam-se como possíveis veículos de disseminação de inúmeros microrganismos patogênicos, além de apresentar grandes concentrações de contaminantes utilizados por serviços de saúde, que são excretados pelas vias urinária e fecal de pacientes. Sendo assim, quando não tratados são importantes contaminantes dos recursos hídricos. Considerando-se a problemática dos efluentes líquidos gerados pelos serviços de saúde, principalmente os hospitais, verificou-se com este estudo as normas regulamentadoras e a legislação referente ao assunto, investigou-se e descreveu-se técnicas de tratamento de efluentes hospitalares. Foram identificados, localizados e mapeados os hospitais de quatro cidades do Vale dos Sinos, verificando se estes possuem licença ambiental para o funcionamento e se dispõem de estação de tratamento de seus efluentes. Descrevem-se os possíveis problemas de saúde que podem ser ocasionados ou agravados com a ausência de tratamento de efluentes hospitalares, assim como se propõe uma metodologia alternativa para o tratamento dos efluentes hospitalares.

Biografia do Autor

Rosa Grasiela Arend, Unisul

Acadêmica do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental – Unisul Virtual.

Jairo Afonso Henkes, Unisul

Professor do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental e do Programa de Pós Graduação em Gestão Ambiental da Unisul. Mestre em Agroecossistemas. Especialista em Administração Rural.

Downloads

Publicado

2013-10-14

Edição

Seção

Estudos de Caso