ALIANÇA E AGENCIAMENTO ENTRE NATUREZA E SUBJETIVIDADE POR ERNST BLOCH E DELEUZE-GUATTARI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v11e0202218-31

Palavras-chave:

Aliança, Natureza, Capitalismo, Subjetividade.

Resumo

Este ensaio tem como temática dois conceitos filosóficos, a saber, o conceito de técnica da aliança de Ernst Bloch e o conceito de agenciamentos maquínico de Deleuze-Guattari, ambos desenvolvidos respectivamente em “O Princípio Esperança” de (1959) e, em “O Anti-Édipo” de (1972). Embora, tais conceitos pressuponham constelações distintas e, não designem uma univocidade de sentido, os mesmos, por outro lado, compõem vetores capazes de romper com a alienação da técnica sobre a natureza e de suas consequências enquanto produção capitalística. A técnica da aliança e os agenciamentos maquínicos apresentam processos sociais engajados em devires de coprodutividade, implicando em uma nova relação entre o humano e o não-humano, da técnica e da sociabilidade, da aliança homem-natureza como afirmação imanente de uma revolução criadora. Contrapondo-se a técnica burguesa e a axiomática do capitalismo universal. E tendo por referência a constituição de uma utopia concreta, por meio de uma técnica da aliança e por uma ecosofia a favor da vida, numa articulação ético-político, a nível dos três registros ecológicos, do meio ambiente, das relações sociais e da produção de subjetividade.

Biografia do Autor

Alan Rodrigo Padilha, Instituto Federal do Paraná

Doutorando em Filosofia (2020) - área de concentração Filosofia Moderna e Contemporânea, linha de pesquisa Ética e Filosofia Política -, pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE/Campus de Toledo/PR. Professor do Instituto Federal do Paraná - IFPR/Campus Umuarama/PR (2012). Participou do Grupo de Pesquisa Escrileituras da diferença em filosofia-educação, oriundo do Projeto interinstitucional (UFRGS, UNIOESTE, UFPEL, UFMT) Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida (2011-2014) do Programa Observatório da Educação DEB/CAPES/MEC. Foi Bolsista do Projeto Escrileituras: um modo de ler-escrever em meio à vida (MEC - CAPES/OBEDUC/INEP) entre janeiro de 2013 e dezembro de 2014. Pesquisa, publica e leciona em torno da Filosofia de Deleuze e seus intercessores, Filosofia da Educação e do Ensino de Filosofia. Interessa, sobretudo, ocupar-se das variações e possibilidades de modos de existência que desafiam a lógica da identidade, da representação e do juízo e que afirmam o devir e a invenção.

Downloads

Publicado

2022-01-19