VERMICOMPOSTAGEM MELHORADA COMO FERRAMENTA PARA A GESTÃO SUSTENTÁVEL DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS

Autores

  • Héber Grazik Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim
  • Joice Batista Reis Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim
  • Eduardo Pavan Korf Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim

Palavras-chave:

Fertilizante, Microrganismos eficientes, Agroindústria, Gestão socioambiental

Resumo

O setor da agroindústria é um alto gerador de resíduos orgânicos que podem impactar severamente a sociedade e meio ambiente quando dispostos de forma inadequada, e for realizada uma gestão ineficiente. Nesse sentido, tem se intensificado a busca por soluções socioambientais para a destinação destes resíduos e diversos estudos apontam o uso da vermicompostagem como técnica de valoração, entretanto ainda apresentam lacunas com relação a problemática e os impactos da composição dos subprodutos gerados. A presença de metais e nutrientes podem ser um problema para a utilização como fertilizante, pois altas concentrações contaminam o solo e água, ocasionando impactos negativos ao meio ambiente e a saúde humana. Diante disso, o objetivo desse trabalho foi utilizar a vermicompostagem com adição de microrganismos eficientes (EM) como solução para a gestão socioambiental de resíduos agroindustriais. A pesquisa foi feita por meio de um estudo de caso em uma propriedade rural, em que realizou-se três tratamentos com resíduos de mistura de estercos
(galinha, caprino e ovino), capim (Pennisetum purpureum) e palha seca de milho. No tratamento I, foi adicionado apenas as minhocas para vermicompostagem (Eisenia fetida) e no tratamento II e III além desta, adicionou-se a concentração de 4 mL/L e 8 mL/L de EM. Os resultados indicam que a técnica é viável para a gestão dos resíduos da agroindústria, produzindo um composto com reduzida presença de metais e maiores teores de nutrientes quando comparado com o composto produzido sem a presença de EM.

Biografia do Autor

Héber Grazik, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim

Engenheiro Ambiental e Sanitarista

Joice Batista Reis, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim

Engenheira Ambiental e Sanitarista

Eduardo Pavan Korf, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim

Engenheiro Ambiental pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2010). Mestre (2011) e Doutor (2014) em Engenharia (área de concentração Meio Ambiente/Geotecnia) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS. Professor Adjunto na Universidade Federal Fronteira Sul - Campus Erechim - RS, onde atua no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental e curso de Engenharia Ambiental e Sanitária. Atualmente, exerce o cargo de diretor de Pesquisa da UFFS (Gestão 2019-2023). É Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível II desde 2021. Tem experiência na área de Geotecnia Ambiental, Resíduos Sólidos e Poluição Atmosférica. É líder do Grupo de Pesquisa em Resíduos e Geotecnia Ambiental - REGEOAMB. Secretário do GT em Geotecnia Ambiental da ABMS (2021-2022).

Downloads

Publicado

2022-03-14

Edição

Seção

Artigos