PANORAMA DA RECICLAGEM NO BRASIL: PERSPECTIVAS SOCIOECONÔMICAS E AMBIENTAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19177/rgsa.v10e4202133-53

Palavras-chave:

Reciclagem, Resíduos Sólidos, Brasil, Políticas Públicas

Resumo

Desde a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), em 2010, esperava-se que o Brasil obtivesse avanços significativos em relação à gestão integrada de resíduos. A PNRS prevê ações que englobam a geração, o tratamento e
a disposição final destes, sendo parte do processo a implementação da reciclagem no país. Nesse contexto, este trabalho teve como objetivo analisar o panorama da reciclagem no Brasil sob enfoque socioeconômico e ambiental. Para responder ao problema de pesquisa, foi realizado um estudo bibliográfico em bases de dados nacionais. Após uma seleção inicial, o total de 25 artigos, publicados entre 2010 e 2020, foi analisado mais detalhadamente. Constatou-se que a maioria das publicações analisadas se concentrou no eixo Social, além de grande parte expor as maiores dificuldades enfrentadas nacionalmente para a implementação das diretrizes dispostas
na PNRS. Apesar dos inúmeros benefícios que pode gerar nos âmbitos social, econômico e ambiental, a reciclagem ainda representa uma atividade com potencial não explorado no Brasil, enfrentando diversos gargalos para sua completa implementação. Por isso, reconhecer os principais atores que atuam na cadeia da reciclagem, investir nas cooperativas, incentivar a educação ambiental da população e fazer valer as orientações da PNRS são ações capazes de impulsionar o país para o caminho de uma gestão mais integrada e sustentável.

Biografia do Autor

Laís dos Santos Pacheco, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e mestranda no Programa de Pós-Graduação em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Daniella Aurora do Nascimento, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Graduanda em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Ouro Preto

Kerley dos Santos Alves, Universidade Federal de Ouro (UFOP)

Pós Doutora em Democracia, Cidadania e Direito pelo Centro de Estudos Sociais de Coimbra, Portugal. Doutora em Psicologia pela PUCMinas com estágio Sandwich pela Universitat Autônoma de Barcelona, Espanha. Professora da graduação em Turismo e do Mestrado em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental da Universidade Federal de Ouro Preto-MG

Vera Lúcia de Miranda Guarda, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Farmacêutica Industrial graduada pela Universidade Federal de Ouro Preto, mestre em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutora em Ciências Farmacêuticas - Université de Grenoble I (Scientifique Et Medicale - Joseph Fourier).Foi professora do Departamento de Farmácia da Universidade Federal de Ouro Preto entre 1992 e 2018. Coordenou a Cátedra UNESCO: Água, mulheres e desenvolvimento de 2006 a 2018. Representa o Brasil no GT - Água e Gênero do PHI - LAC da UNESCO. Participou como representante do CONAPHI - Brasil Especialista em Empreendedorismo e Inovação. Criou e coordenou o NuCát - Núcleo da Cátedra UNESCO- água, mulheres e desenvolvimento desde a data do seu reconhecimento: Resolução CEPE- UFOP - 7420 de 16/02/2012 até 2108. Foi Editora da Revista ALEMUR, Professora voluntária do Programa de Mestrado Profissional em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental. Aposentou-se em Novembro de 2018, como professora titular da Universidade Federal de Ouro Preto.

Downloads

Publicado

2021-12-14

Edição

Seção

Artigos