“E AGORA, JOSÉ?”: MANCHETES, LIDES E A GRAMÁTICA DA (IN)VISIBILIZAÇÃO SOCIAL

Autores

  • Roséli Gonçalves do Nascimento Universidade Federal de Santa Maria

Palavras-chave:

Análise do Discurso. Manchete. Gramática.

Resumo

Este artigo apresenta uma análise crítica de gênero de manchetes e lides de seis notícias online sobre um acidente de trânsito envolvendo dois cidadãos brasileiros que epitomam duas classes socioeconômicas: a classe dominante (ATOR 1) e a classe trabalhadora (ATOR 2). Tendo como ferramentas o sistema de transitividade da gramática sistêmico-funcional (HALLIDAY; MATTHIESSEN, 2004) e a taxonomia de representação de eventos sociais (FAIRCLOUGH, 2003), o objetivo é verificar como a mídia recontextualiza o evento social e seus atores de modo a construir representações particulares sobre eles. A análise revela um conjunto de mecanismos gramaticais e discursivos que forjam a invisibilização do ATOR 2 como vítima fatal do acidente e, por outro lado, mitigam a responsabilidade do ATOR 1 como provocador do evento. 

Biografia do Autor

Roséli Gonçalves do Nascimento, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Letras/Inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina em regime de co-tutela com a University of Sydney, Austrália (2012). É professora Adjunto no Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da Universidade Federal de Santa Maria, onde atua como membro do Laboratório de Pesquisa e Ensino de Leitura e Redação (LabLeR), orientadora no Projeto Línguas no Campus, Vice-Coordenadora do Teste de Suficiência em Leitura em Línguas Estrangeiras (TESLLE) e Coordenadora Pedagógica de Inglês do NUCLI - IsF da UFSM. Seus interesses de pesquisa incluem Análise Crítica do Discurso, Análise Crítica de Gêneros com foco no discurso multimodal, Linguística Sistêmico Funcional e pedagogias para os multiletramentos.

Downloads

Publicado

2022-01-25