A PRODUÇÃO DE SENTIDO NO DISCURSO JORNALÍSTICO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19 NO BRASIL

Autores

Palavras-chave:

Dialogismo. Vozes sociais. Discurso jornalístico. Covid-19.

Resumo

Este artigo investiga como o discurso jornalístico se torna palco de disputa de diversos pontos de vista sobre a pandemia de Covid-19 no Brasil ao utilizar a voz da ciência, que se ampara no conhecimento científico, e a voz do idiota, que combate a voz da ciência. O corpus é constituído por cinco títulos e cinco leads de notícias sobre o tema, publicados no site do jornal Folha de S. Paulo entre 20 e 24 de março de 2020. A análise das relações dialógicas evidenciou que o discurso jornalístico se bivocaliza com o discurso científico, expressando a voz da ciência de maneira difusa; cria uma arena de disputa entre a voz da ciência e a voz do idiota, trazendo valorações anticientificistas quando se bivocaliza com o discurso bolsonarista; desacredita a voz do idiota, distanciando-se dela por meio do discurso citado, produzindo os efeitos de sentido sobre a Covid-19.

Biografia do Autor

Samuel de Carvalho Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte

Licenciado em Letras - Português, Inglês e respectivas Literaturas pela Universidade Federal do Ceará (2007). Tem mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (2009), doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (2012) e pós-doutorado em Ciências da Educação, na especialidade de Educação em Línguas Estrangeiras, pela Universidade do Minho (2018). É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, campus Mossoró (IFRN), onde atua no ensino de inglês em cursos técnicos de nível médio, no Mestrado em Ensino (POSENSINO) e no Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT).

Rafael Lira Gomes Bastos, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (2009) e mestrado em Lingüística pela Universidade Federal do Ceará (2019). Atualmente é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará (PPGL/UFC) e professor da Secretaria de Educação do Estado do Ceará, SEDUC/CE, Brasil. Atuou como professor do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica - PARFOR.

Downloads

Publicado

2021-08-04