Por uma rediscussão do conceito de intergenericidade

Autores

  • Vicente de Lima Neto
  • Júlio César Araújo Universidade Federal do Ceará (UFC)

Palavras-chave:

Gêneros, Intergenericidade, Mesclas de gêneros

Resumo

Este ensaio tem como objetivo rediscutir a intergenericidade, conceito que estuda as misturas de gêneros. Com base nas reflexões de Bakhtin (2006 [1953]) sobre reelaborações e misturas de gêneros,  buscamos argumentos que sustentem a tese de que o conceito de intergenericidade, tal qual vem sendo proposto pela Linguística de Texto, não contempla todas as diferentes formas de manifestação textual em que se misturam gêneros. Propomos três tipos de mesclas genéricas distintas: a mescla por intergenericidade prototípica, caracterizada pela fusão de traços de pelo menos dois gêneros; a mescla por gêneros casualmente ocorrentes; constituída por gêneros que não necessariamente se fundem, mas que coexistem numa relação simbiótica, voltada para um propósito comunicativo comum; e a mescla por gêneros intercalados, que envolve gêneros que podem pertencer a cenas enunciativas distintas.

Biografia do Autor

Vicente de Lima Neto

Doutorando em Linguística pela UFC. 

Júlio César Araújo, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Professor e Pesquisador no Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL) do Departamento de Letras Vernáculas da UFC, onde coordena o grupo de pesquisa Hiperged. Atua na área de Linguística Aplicada em interface com Pragmática, Análise do Discurso e Linguística Textual. À luz dessa interface estuda as relações entre linguagem e tecnologia digital, com especial atenção aos seguintes temas: gêneros digitais, letramentos na web, EaD, convergência de mídias e hipertexto. Atualmente é vice-presidente da Associação Brasileira de Estudos sobre Hipertexto e Tecnologia Educacional (ABEHTE) e da Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB).

Downloads

Publicado

2012-05-21

Edição

Seção

Ensaio