METÁFRASE E PARÁFRASE: MODALIDADES DA APROPRIAÇÃO DO DISCURSO DE OUTREM NA ESCRITA ACADÊMICA

Autores

Palavras-chave:

Análise de discurso. Didática. Discurso de outrem. Enunciação. Letramentos acadêmicos. Linguística aplicada. Metáfrase. Paráfrase.

Resumo

Como fazem os professores pesquisadores para retomar, em suas escritas, o discurso de outrem? Tal indagação questiona as modalidades da inserção de um discurso de outrem em um texto, diferenciando a metáfrase e a paráfrase (que dizem respeito a autonomia ou assimilação do discurso outro). A análise é contrastiva, visando identificar (em um corpus constituído de textos de colegas brasileiros de Linguística Aplicada e de colegas franceses de Didática) as diferenças de modalidades realizadas em textos de pesquisa e em textos de ensino. Os resultados da pesquisa confirmam a hipótese inicial: as modalidades enunciativas da inserção do discurso de outrem permitem, em certa medida, caracterizar genericamente discursos acadêmicos diferentes: os textos de ensino privilegiam a paráfrase, e os textos de pesquisa, a metáfrase.

Biografia do Autor

Bertrand Daunay, Université de Lille

Sendo especialista de didática da língua francesa e da literatura desde os anos 1980, estou me dedicando atualmente, por um lado, à descrição da escrita acadêmica et da escrita metatextual e, por outro, à discussão (teórica e metodológica) da retórica do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos).

Downloads

Publicado

2020-08-05